Pai hippie e filho careta se enfrentam no palco

Carlos Meceni no palco. Chico de Assis na direção. Antes de mais nada, Yesterday, peça de Eliana Iglesias que estréia hoje no Teatro Ruth Escobar une esses dois artistas de antiga e boa cepa. E ainda o jovem André Latorre. O conflito mais aparente de Yesterday nasce de uma interessante, e em alguns momentos divertida, inversão: um filho advogado e careta que tenta colocar "na linha" um pai hippie, que insiste em fumar maconha e não cansa de ouvir Beatles. Mas o verdadeiro tema dessa peça está mais além e envolve uma mulher ausente. O que importa é o conflito existencial desses dois homens, abandonados pela mesma mulher, que foi em busca de sua liberdade.A partir de uma situação extrema, Yesterday aborda o tema da liberação feminina sob um ponto de vista singular - a dos homens que sofreram as conseqüências da liberdade feminina. Há uma grande ausência todo tempo na casa desses dois homens. O filho chega a escutar o toque de uma campainha, que só existe na sua imaginação. Com reações muito diferentes, ambos sofrem a dor desse abandono. E vivem em compasso de espera. "Mas muitas dessas mulheres também pagaram um alto preço pela liberdade", observa o diretor. "Na verdade a peça fala sobre pessoas postas diante de uma pluralidade de caminhos." Qual o preço da escolha? Chico de Assis optou pelo palco em arena total, quase uma homenagem ao velho e bom Teatro de Arena, onde ele sedimentou sua carreira, junto com Guarnieri e Vianinha.Yesterday. De Eliana Iglesias. Direção Chico de Assis. Duração: 80 minutos. Sábado, 21 horas; domingo, às 20 horas. R$ 15,00. Teatro Ruth Escobar - Sala Miriam Muniz. Rua dos Ingleses, 209, tel. 289-2358. Até 7/11. Hoje, somente para convidados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.