Ozzy Osbourne leva plateia ao delírio na Arena Anhembi

Aos 62 anos, Ozzy Osbourne largou o álcool, as drogas e o cigarro. Os anos de abuso, no entanto, deixaram marcas. O cantor, que afirma ter usado todos os tipos de entorpecentes existentes, já não caminha nem fala com facilidade. Na noite de sábado, às 21h27, quando ele subiu ao palco da Arena Anhembi, o público não parecia se importar se as suas costas estavam ligeiramente arqueadas enquanto caminhava até o microfone. "Vocês estão prontos? Vamos enlouquecer!", disse o Príncipe das Trevas. Ozzy se apresentará também em Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

AE, Agência Estado

04 Abril 2011 | 10h10

Assim como os shows que ele fez em Porto Alegre (30/03) e no Chile (28/03), a apresentação foi aberta com "Bart At The Moon", canção de 1983 e um dos clássicos de sua carreira solo, que na letra fala sobre um lobisomem que late para a lua. Ozzy subiu ao palco usando roupas pretas, cobertas por um sobretudo, os olhos estavam maquiados de preto e unhas pintadas da mesma cor. Os anéis dourados em forma de caveiras e as correntes que o roqueiro costuma usar no pescoço foram deixados de lado. Esta é a quarta vez que o músico vem ao Brasil. A primeira foi em 1985, durante o Rock in Rio 1. Depois foi em 1995, no festival Monsters of Rock. E, por fim, em 2008, com shows em São Paulo e Rio de Janeiro.

A segunda canção da noite foi "Let Me Hear Your Scream", a única música do disco novo, "Scream", que ele cantou no show. Em seguida, vieram mais duas da carreira solo: "Mr. Crowley" e "I Don?t Know". Foi somente na quinta canção, "Fairies Wear Boots", que os fãs de Black Sabbath finalmente puderam ouvir a primeira das cinco músicas da ex-banda de Ozzy. Ele ainda cantou clássicos como "War Pigs", "Iron Man" e "Paranoid". "Quero ouvir vocês gritarem. Mais alto! Não estou ouvindo!", gritava o tempo todo à plateia. Choveu forte durante boa parte da apresentação. Mas nem o público nem Ozzy se importaram. "Dane-se a chuva", disse o cantor.

Outros clássicos da carreira solo de Ozzy também pontuaram o repertório. Entre eles, "Crazy Train", "Shot in The Dark" e "Mama, I?m Coming Home". "Amo vocês. Gosto de todos. Gritem comigo", disse antes de um fã jogar um morcego de borracha no palco. Conhecido por morder um morcego durante uma apresentação nos anos 80, Ozzy pegou o animal de borracha e o colocou na boca. A plateia foi ao delírio.

Às 23h, depois de 1h30 de show, os fãs deixaram a Arena Anhembi extasiados. Ozzy Osbourne chegou a afirmar que, hoje em dia, a única coisa que ele almeja é conseguir chegar vivo até o fim de seus shows. Pelo visto, mais uma vez ele conseguiu. Revigorando também a plateia. As informações são do Jornal da Tarde.

Mais conteúdo sobre:
música Ozzy Osbourne Anhembi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.