Ousadia marca espetáculo infantil

Há muito tempo não se via nospalcos de São Paulo uma experiência tão radical na área deteatro infantil. Ufa, que Perigo!, com texto de AugustoFrancisco e direção de Roberto Lage, é ousadia do começo aofim. A linguagem é totalmente onomatopéica. Coisa de gibi.Importa mais o som do que o significado. O ritmo é frenético, atrama é maluca, os personagens fogem do naturalismo, tudo éestranhamente novo - códigos sem concessões, charadas semsoluções. A idéia que permeia tudo é: não entre em pânico. Há umafamília em cena, a família Souza, e, convivendo com ela, paira -imperioso - o medo da violência na cidade grande. Além daslúdicas e reveladoras onomatopéias, o texto tem trechos beminteligentes e provocativos, como: "As coisas boas são sempreuma surpresa, porque as coisas más a gente já pode catalogá-lastodas por ordem alfabética." "Para que este avião precisa de motor, se podemos fazero mesmo barulhão com a boca?", pergunta um dos personagens lápelo meio da peça. É a frase-síntese do espetáculo, a perguntaque dá sentido a todo esse exercício teatral de provocação. Paraque a segurança, se podemos correr riscos? Para que ser óbvio,se podemos subverter? Para que a linearidade, se podemoscircular, repetir, refazer? Isso é fazer teatro. Isso é arte. O espetáculo tem dois defeitos pequenos, mas, numaviagem perigosa e radical como essa, qualquer deslize pode serfatal para diminuir a atenção da platéia, de quem é esperada umaconcentração constante: há músicas e piadas de menos. A trilha, composta especialmente para a peça, é notadez. Entra no clima das onomatopéias e apóia o texto,complementando-o e enriquecendo-o. Justamente por isso, sente-sefalta de mais música. Demora muito tempo, por exemplo, ointervalo entre a primeira canção e a seguinte. Quanto à falta de piadas, a questão é que o humor ésutil, carregado de simbologias. Um pouco de escracho poderia,aqui, dar um respiro no esforço cerebral que é exigido damoçada. Não há mal nenhum em ceder alguns passos, se o objetivofor avançar, logo em seguida, com o dobro de sutilezas. Embarquenessa ousadia, para adorar ou odiar - sem meios termos.Serviço - Ufa, que Perigo! Sábado e domingo, às 16 horas. TeatroÁgora. Rua Rui Barbosa, 672, tel. 3284-0290. R$ 5,00(estudantes) e R$ 10,00. Até 26/5

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.