Osmar Dalio expõe seu caleidoscópio

Nove anos após exibir com destaque uma série de esculturas na 21.ª Bienal de São Paulo, Osmar Dalio volta finalmente a expor na cidade, mostra, a partir dessa quinta-feira, na nova sede da Galeria Millan, cinco trabalhos recentes em que concilia a sedução ornamental com uma rigorosa pesquisa formal. Partindo de fotos de composições feitas com diferentes materiais - como ossos, terra, argila, folhas de lótus, talco, seda, etc. -, o artista cria imagens repetitivas e ilusórias, que se assemelham às formas de um caleidoscópio e cativam imediatamente o olhar do espectador.Reproduzidas em PVC e coladas como papel de parede (reforçando a idéia de padronização) ou sob a forma de backlight, as imagens de Dalio remetem ao universo místico oriental. Essas referências são reforçadas pelos títulos em terminologia sânscrita adotados pelo autor e pelas cores exploradas no trabalho.As obras feitas em tons de marrom (cujas estruturas, não por acaso, são construídas por ossos) remetem à idéia de vida e morte e têm um caráter mais dramático. Rudra (que passa destruição total), por exemplo, é uma ilustração precisa em seu significado, dando a impressão de que vai tragar o espectador para dentro da escuridão.Já Satwa (a manifestação da bondade) e Purusha (espírito primordial) têm uma leveza e um movimento bem mais agradáveis aos olhos e ao espírito. "É como se a obra estivesse entrando em erupção", explica Dalio. No caso de Satwa isso é ainda mais evidente. Ao fundo da galeria em forma de corredor (o que infelizmente impede a observação dos trabalhos das paredes laterais com o recuo necessário), a imagem em backlight parece atrair nossa atenção. E nossa curiosidade.Ao mesmo tempo que essas formas orgânicas não retratam nada reconhecível, as imagens parecem carregar um sem-número de referências, quase forçando o espectador a fazer um mergulho afetivo nesses sedutores arabescos. Talvez isso explique o fato de Dalio considerar essas composições abstratas como tendo um forte teor narrativo. Osmar Dalio. De segunda a sexta, das 10 às 19 horas; sábado, das 11 às 14 horas. Galeria Millan. Rua Estados Unidos, 1.581, tel. 852-5722. Até 18/11. Abertura, quinta-feira, às 21 horas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.