Osesp assume o Festival Internacional de Campos de Jordão

A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) assume este ano a gestão do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão. O secretário de Estado da Cultura, Andrea Matarazzo, já havia sinalizado, em declarações no ano passado, a intenção de promover a troca do comando na condução do evento, até então a cargo da Organização Social Santa Marcelina.

CAMILA MOLINA, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2012 | 03h12

"É uma questão de política pública de cultura, não tem a ver com qualidade", afirma Ana Flávia Souza Leite, coordenadora da Unidade de Formação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura. Ainda segundo ela, "provavelmente" a maestrina norte-americana Marin Alsop, regente titular da Osesp, será a responsável pela direção artística do evento. "Marin tem experiência e vocação para o festival".

A coordenadora da Unidade de Formação da Secretaria de Estado da Cultura diz que o orçamento do evento para 2012 não está definido, mas os trâmites legais envolvendo a troca de gestão do Festival de Campos do Jordão estão em processo de conclusão. "O Estado implantou o Sistema Paulista de Música a partir de janeiro, operando com novos moldes", diz Ana Flávia Souza Leite. O investimento total da secretaria para a área musical será de R$ 200 milhões em 2012, segundo a coordenadora. A Osesp, o Projeto Guri, Escola de Música do Estado de São Paulo - Tom Jobim (esses dois, geridos pela Santa Marcelina) e o Festival de Inverno de Campos do Jordão são equipamentos que integram o Sistema Paulista.

Na edição anterior do evento, em julho de 2011, a Osesp não ocupou o posto de orquestra residente do festival e realizou apenas o concerto de abertura. A coordenadora da Unidade de Formação da secretaria afirma que a retomada da Osesp como gestora do festival vai promover um maior intercâmbio cultural entre os alunos de música de São Paulo e convidados internacionais dado o prestígio da orquestra.

O Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão é voltado, principalmente, para atividades pedagógicas e promove também atrações para o público. No ano passado apresentou 55 concertos e teve 164 bolsistas. Em termos numéricos, foi considerada uma edição mais enxuta em relação às anteriores. Seu orçamento anunciado na época foi de R$ 5,5 milhões.

Segundo Ana Flávia, a Osesp assume festival "com todo seu corpo operacional", mas ela ressalta que o orçamento do evento é independente do que é destinado à orquestra, que tem sua sede na Sala São Paulo. O evento utiliza também recursos captados por meio de Lei de Incentivo do Ministério da Cultura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.