Wilton Jr/AE
Wilton Jr/AE

Oscar Niemeyer está 'em franca melhora', diz equipe médica

Arquiteto está internado no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, com quadro de desidratação e a função renal prejudicada

Vinicius Neder,

11 de novembro de 2012 | 10h28

O arquiteto Oscar Niemeyer, de 104 anos, está "em franca melhora", informaram médicos do Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, em entrevista coletiva na manhã deste domingo (11). Niemeyer foi internado em 2 de novembro com um quadro de desidratação e com a função renal prejudicada. "A função renal dele ainda não é normal, mas está sendo resolvida, não está em fase crítica", informou o médico Fernando Gjorup.

"O paciente está com uma saúde frágil, própria da idade, e inspira cuidados. Mas no evento clínico atual está evoluindo bem e vem em franca recuperação", afirmou Gjorup. Segundo o médico, exames laboratoriais da manhã deste domingo apresentaram melhora. A equipe médica ainda não tem previsão de alta.

Niemeyer está internado na unidade intermediária, ou semi-intensiva, do Hopital Samaritano, onde seu coração e sua oxigenação são monitorados. Ele está lúcido e conversa com a família. O paciente chegou a discutir projetos que estão sendo tocados por seu escritório, na semana passada, disse Gjorup. O projeto que mais chama a atenção do arquiteto é um centro cultural no Marrocos, segundo Vera Niemeyer, e o arquiteto está impaciente para sair do hospital.

Niemeyer foi levado ao hospital na sexta-feira, 2, após apresentar mais uma vez dificuldades para se alimentar e ingerir líquido, e os médicos constataram a necessidade de colocação de uma sonda. Na sexta-feira (9), foi transferido do quarto para a unidade intermediária. Em outubro, ele havia sido internado pelo mesmo motivo e recebeu alta depois de passar 15 dias no hospital. Esta é a terceira internação de Niemeyer em 2012.

Paulo Niemeyer Filho, sobrinho de Oscar Niemeyer, também presente na coletiva, disse que a família está muito satisfeita com o tratamento que vem sendo ministrado. "Nossa esperança é de levá-lo para casa". / COLABOROU AMANDA ROSSI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.