Os três concertos que Grieg não escreveu

Violinista norueguês cria três peças para violino e orquestra de câmara a partira das sonatas escritas pelo compositor

JOÃO MARCOS COELHO , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2013 | 02h06

HENNING KRAGGERUD

O compositor norueguês Edvard Grieg (1843- 1907) é conhecido por seu concerto para piano e pela suíte Peer Gynt. Jamais compôs um concerto para violino. Mais de um século depois, outro norueguês - o violinista Henning Kraggerud, diretor artístico da Tromso Chamber Orchestra - acaba de "criar" três concertos a partir das suas três sonatas para violino e piano, agora lançadas em primeira gravação mundial. Grieg gostava das sonatas. Julgava estarem entre suas melhores criações. "Elas caracterizam períodos da minha evolução: a primeira, ingênua e prolífera em ideias; a segunda, nacionalista; a terceira, virada para mais vastos horizontes."

Henning contrapõe o violino a uma orquestra de cordas e a encorpa com pares de sopros, à maneira da orquestra clássica. No divertido texto do encarte, conta que "70% dos convites de orquestras para pianistas noruegueses exigem o célebre concerto de Grieg; e eu, como violinista, tinha de recorrer ao finlandês Jean Sibelius".

Os arranjos não foram feitos na pressa. Henning estudou o estilo de orquestração de Grieg, daí o resultado muito bom da ousadia. O primeiro concerto, ou melhor, sonata, foi composto em 1865, quando Grieg morava na Dinamarca. A obra traz a marca de Schumann, mas também remete às melodias da sua Noruega. Dois anos depois, Grieg casou-se, voltou para seu país e compôs a segunda sonata, ainda mais nacionalista. Henning não perde quase nada do texto original e consegue ampliar a paleta de timbres das sonatas originais sem distorcê-las ou desfigura-las.

O melhor destes "novíssimos" concertos para violino de Grieg é o terceiro, que tem outro pique. Foi escrito vinte anos depois, em 1887, e já não respira ares nacionalistas. É heroica, vibrante, sedutora - talvez porque ele a tenha dedicado a uma jovem violinista italiana de 20 anos. O heroísmo e a vibração estão no Allegro molto ed appassionato inicial; e a sedução está no allegretto espressivo alla romanza, arma de Grieg para capturar a alma da bela e jovem Teresina.

As execuções de Henning Kraggerud e da Tromso Chamber Orchestra são de ótimo nível. Uma boa ideia, que resulta em música que conserva seu fascínio mesmo após muitas audições.

GRIEG: THREE CONCERTI FOR VIOLIN

Naxos, US$ 7 (download)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.