Marcos Arcoverde/AE
Marcos Arcoverde/AE

Os penetras bons de humor

Tudo se passa no réveillon nesta comédia prevista para estrear no 2º semestre

ROBERTA PENNAFORT / RIO , O Estado de S.Paulo

21 Fevereiro 2012 | 03h05

Os créditos de Os Penetras, que anunciam Marcelo Adnet e Eduardo Sterblitch (o Freddie Mercury Prateado do Pânico) como a dupla de protagonistas, são, ao mesmo tempo, o chamariz e a pegadinha do filme. Sim, eles são estrelas da nova geração do humor brasileiro, colecionam fãs pelos stand ups no teatro, os vídeos no You Tube e os humorísticos na TV. Não, não se trata de transplantar o deboche, as piadas e as sátiras para a tela grande.

"Eu queria uma comédia não televisiva", explica o diretor, Andrucha Waddington, em seu quarto longa e primeira incursão cinematográfica no gênero, que sucede o épico Lope. "O grande desafio era fugir do que eles fazem na TV, e tentar construir personagens que têm uma tragédia pessoal. Eles embarcaram nessa onda e saíram da zona de conforto."

Adnet e Sterblitch são Marco e Beto, dois opostos que se atraem. O primeiro é um carioca fanfarrão e espertinho; o segundo, vindo do interior, é introvertido, deslocado e inseguro. Eles se conhecem acidentalmente e, com a convivência, em que Marco tenta se dar bem e Beto corre atrás da mulher amada, as personalidades se entrosam. A ação se dá toda nas últimas 48 horas do ano.

Promessa de blockbuster, produzido pela Conspiração Filmes e com Stepan Nercessian, Mariana Ximenes, Susana Vieira, Andrea Beltrão, Luis Gustavo e Luiz Carlos Miele no elenco, Os Penetras tem estreia prevista para o segundo semestre.

Foi rodado entre dezembro e janeiro, no Rio, em locações facilmente reconhecíveis: Copacabana no réveillon, o Mirante Dona Marta, o Palácio do Catete... Numa mansão em Santa Teresa, de propriedade de uma tradicional família grã-fina, Andrucha filmou uma exclusiva festa de réveillon que se tornou um prato cheio para a dupla de bicões.

Esqueça Cilada.com, Muita Calma Nessa Hora e Agamenon - O Filme. O diretor quis o foco nos personagens, e não em piadas. Ele cultiva o projeto desde 2006 e escreveu o roteiro com colaboradores - inclusive os dois atores, mais recentemente.

Quando assistiu a Penetras Bons de Bico, filme de 2005, em que Vince Vaughn e Owen Wilson "penetravam" em festas de casamento para tirar proveito das convidadas encalhadas e vulneráveis, hesitou em levá-lo adiante. Depois o retomou e decidiu fazer uma comédia de humor "bem carioca".

Sterblitch, que vem do teatro (estudou desde criança), está em seu primeiro filme, e bem à vontade. "Eu sempre fui nerdzinho de cinema. Já tinha recebido propostas, mas tive bastante cautela. O Andrucha nos deu toda a liberdade. Aqui, a graça vem da situação", afirma o ator, que fez 25 anos na quarta-feira.

Adnet, que festejou os 30 no ano passado, conta que ambos já conheciam o trabalho um do outro, mas nada mais havia além disso. "Estávamos procurando o Beto, e quando o Eduardo leu, veio a certeza na hora. A gente tem uma musicalidade diferente, respira diferente, e dá muito certo."

Stepan Nercessian tinha um papel menor, mas o entrosamento com a dupla ("dois cariocas que foram ganhar dinheiro em São Paulo", como brincam) fez com que cenas fossem reescritas. "É bom estar colocando mais uma pedrinha na construção do cinema brasileiro. A gente perdeu a embocadura para fazer comédia, e eu sempre fui muito fã de comédias simples", acrescenta Stepan Nercessian.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.