"Os Lusíadas" volta aos palcos em SP

Depois de uma boa acolhida emPortugal, a montagem de Os Lusíadas, adaptação de ValderezCardoso Gomes para o poema homônimo de Luís de Camões, dirigidapor Márcio Aurélio, faz nova temporada brasileira no TeatroSérgio Cardoso. Em abril, o espetáculo volta a Portugal, paraapresentações nas cidades de Braga, Porto, Aveiro, Faro, Coimbrae mais uma vez em Lisboa. Márcio Aurélio foi feliz em sua encenação ao optar poruma linguagem concisa e poética. No lugar de uma enorme caravela vista em movimento pela platéia, preferiu o ponto de vista dointerior da embarcação. Na sua concepção, ele usa o palco comometáfora - ali também é um local de exploração ou viagem porterras desconhecidas. Márcio Aurélio ressalta que a maquinarianaval, aperfeiçoada na época dos descobrimentos, serviu deinspiração à maquinaria do palco italiano: urdimentos,acordoamentos, alçapões, fossos, piso móvel ou palco giratório."Trabalhamos com símbolos que representam no imagináriocoletivo essa aventura de desbravar o desconhecido." Assim, osatores vestidos com roupas que remetem a astronautas movem osrecursos técnicos do palco como se fosse a maquinaria de umnavio. Outro aspecto da concepção de Márcio Aurélio serviu paradar ritmo e colorido ao espetáculo: a idéia do marinheiro comoum contador de histórias, conseqüência natural da idéia de umpalco/navio. As várias narrativas do poema épico são contadas -e representadas - pelos próprios marinheiros, como se fosse umaforma de preencher o tempo na longa travessia pelo oceano. Numadas belas cenas do espetáculo, eles estão tão absorvidos pelanarrativa de uma dessas histórias de 12 míticos cavaleirosportugueses, contida no poema, que só tarde demais percebemestarem sendo jogados de um lado para o outro por uma terríveltempestade. Os cenários e a direção de arte de Daniela Thomas eAndré Cortez valorizam o contraste entre as cores neutras dopalco/navio e o intenso colorido nos figurinos, maquiagens eadereços das populações das "estranhas terras da África e daÍndia", onde aportam dos portugueses. Eduardo Conde interpretaum Vasco da Gama de pulso forte e capacidade de liderança. Noelenco de 42 atores, destacam-se ainda João Carlos Andreazza eRogério Bandeira.Serviço - Os Lusíadas. De Camões. Adaptação Valderez CardosoGomes. Direção Marcio Aurelio. Duração: 80 minutos. De quarta asexta, às 20h30; sábado, às 21 horas; domingo, às 19 horas. R$30,00 e R$ 20,00. Teatro Sérgio Cardoso. Rua Rui Barbosa, 153,em São Paulo. tel. 288-0136. Até 28/4

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.