Camilla Maia/ O Globo-12/11/2008
Camilla Maia/ O Globo-12/11/2008

'Os estrangeiros estão com o João nas mãos'

Mulher de João, acusa a EMI de mudar discos do cantor e deixar que eles sejam vendidos na internet de forma ilegal

Julio Maria, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2011 | 00h00

Entrevista: Claudia Faissol, mulher de João Gilberto

Aquilo soava delírio. Imagine João Gilberto se deixando filmar no palco e em bastidores de seus shows para virar documentário. Quem o conhece dizia "esquece, sem acordo". Mas Claudia Faissol seguiu em frente. Foi a João mais de uma vez até vencer a primeira luta. Quando ouviu um sim, colocou a câmera no tripé ciente da palavra que nunca deveria dizer: prazo. Quarenta anos mais jovem, acabou se envolvendo com o artista e tendo dele uma filha hoje com 7 anos, Luisa. Quinze anos depois de começar as gravações em shows e bastidores de João pelo mundo, Claudia vai ao front pela segunda vez. Quer ajuda do governo para concluir seu documentário. Em entrevista por telefone ao Estado, ela se diz decepcionada com o que chama de miopia das autoridades e fala de guerras ainda maiores em nome de João Gilberto. Acusa a gravadora EMI de adulterar os masters dos principais discos do artista e de permitir que seus álbuns mais importantes sejam vendidos na internet em versões modificadas. Procurada pela reportagem, a gravadora EMI não quis se manifestar sobre o assunto. Claudia diz ainda que a imprensa maltratou João no episódio da ameaça de despejo de seu apartamento e que o artista mais recluso do País não dá entrevista por mágoa.

Você precisa de ajuda do governo para concluir seu documentário?

Eu estou trabalhando para o governo há 15 anos. Esse documentário é uma coisa que não deveria ser um investimento meu, mas do governo, porque é histórico. Quando você trabalha com João não tem como dar prazo. Só que, por uma miopia do governo, eles querem atrelar João à Lei Rouanet. É uma ignorância.

Você chegou a falar com a ministra Ana de Hollanda?

Ela disse que não pode arcar com compromissos do último governo. Eu sei que o que ela quer é que eu coloque o projeto na lei (Rouanet), mas não vou colocar porque para isso eu teria que mentir. E não vou mentir para me envolverem em um escândalo.

Mentir em que sentido?

A lei exige que você defina um tempo, quando vai começar e quando vai acabar, e todo mundo sabe que isso é impossível quando é algo sobre João Gilberto. Infelizmente o que vou acabar fazendo é entregar esse projeto nas mãos de uma firma estrangeira. Os estrangeiros estão com tudo do João nas mãos. O cara que tem mais imagens dele é um suíço que vai doar o acervo para o governo de seu país.

Que tipo de ajuda do governo você precisa?

Pedi ajuda da Cinemateca para me mandarem um técnico aqui no Rio porque eu não posso tirar essas imagens de casa. Precisava que um técnico fizesse essa decupagem e um orçamento mais acertado de quanto seria para tratar isso. Juca Ferreira (ex-ministro da Cultura) me deu a maior força, pediu para a Ana de Hollanda fazer com que esse projeto andasse, disse que era o pré-sal da cultura brasileira. Mas não estou encontrando eco porque as pessoas tratam o João como louco. Ouvem o que eu digo e dizem "ah, mas o cara não vai deixar, essas imagens não vão existir nunca", na base da chacota e da piada.

Como está João em seus 80 anos?

Ele está ótimo, com o repertório mais lindo do mundo.

Um repertório para show ou para gravar disco?

Pra show, pra disco, para o que for, o repertório está muito lindo.

Músicas inéditas?

Músicas que ele nunca gravou.

Quais, por exemplo?

Eu não lembro aqui agora, tem várias, ele toca tanto que me confundo. Em tudo aquilo em que ele toca, a letra muda, a música muda. Ele pega um samba e faz virar bossa, um frevo e faz bossa.

A questão do despejo do apartamento, pedido pela dona do imóvel em que ele mora, ficou resolvida?

Isso foi uma fofoca completamente errada. Ele nem mora no apartamento.

Ele não mora no apartamento?

É, isso foi um desfavor da imprensa. Um cara da importância do João não pode ser tratado assim. Se fosse comigo nem sei o que faria, mas ele é calmo. Diz: "Deixa, Claudia, isso é coisa de gente desocupada, não vou me chatear, meu negócio é tocar violão".

Desculpe perguntar de novo, mas ele não mora nesse apartamento?

Não, ele não mora, apenas paga o aluguel porque tem gente que se hospeda lá de vez em quando.

É difícil ser mulher do João Gilberto?

Nem vou falar sobre vida pessoal porque ele tem horror, mas é triste ver todo o governo brasileiro sem entender o que é isso, meu Deus. Em Nova York, o cara mais importante do show biz americano me disse que o João é o artista que vende ingressos mais rapidamente do que todos os artistas com quem ele já trabalhou, como Duke Ellington, Ella Fitzgerald, Frank Sinatra. Tem gente que pega um avião na Tailândia para ir a Nova York no dia do show do João. E aqui no Brasil as coisas são assim. Os primeiros discos do João estão em poder da EMI. No ano passado, ele pediu para ver os masters, mas eles já não estão mais no Brasil. A EMI nem sequer mostrou os masters. A EMI já levou tudo pra fora.

João não tem poder sobre sua obra?

É pior do que não ter poder. Ele ficou durante esses últimos 30 anos em brigas judiciais com a EMI justamente para pedir que não adulterassem os discos dele. João descobriu que eles colocaram bateria e outros instrumentos para encobrir o violão, remixaram músicas, adulteraram o disco. E agora esses álbuns estão nas mãos da inglesa EMI, que tinha como maior acionista a rainha da Inglaterra. É muito triste ver isso tudo acontecendo sem nenhuma reação do Supremo Tribunal Federal, nenhuma reação do Ministério da Cultura, nenhuma reação do Ministério das Relações Exteriores. Agora, o disco do João, Chega de Saudade, está sendo vendido na Amazon com um monte de faixas (que não estavam no original). Botaram a capa Chega de Saudade sem pagar nada ao João. Puseram outros cantores no disco, que foi colocado à venda na Amazon. Falei sobre isso também com o Juca, mas mudou o governo e caiu tudo.

Estão vendendo os discos originais modificados?

Não estão só modificados. É pior. Primeiro, era só o Chega de Saudade, mas agora já tem também O Amor, O Sorriso e A Flor. Eles viram que somos idiotas, colonizados, imbecis. Ninguém fez nada, vamos lá, vamos para o próximo.

O que diz a EMI sobre isso?

Eu fui lá, falei com o presidente na época, Marcelo Castelo Branco, e eu disse: "Olha, se vocês têm os direitos desse disco, têm o dever de olhar porque isso está acontecendo. Pior do que as mudanças que vocês fizeram, há agora outros artistas dentro do disco do João". Eles me falaram que isso é pirataria e que não podem fazer nada.

O João não pensou em processar a empresa que está vendendo seu material "pirata"?

Não, o João não processou a Amazon. Ele não quer mais processar ninguém, está exaurido desse assunto. Foi ao tribunal e uma juíza disse que o que ele estava falando era relativo. Ela relativizou um conhecimento do João Gilberto. Tudo isso me choca.

O que pretende fazer agora?

O Ministério das Relações Exteriores disse que eu deveria falar com o ministro do Supremo Tribunal Federal para que ele decidisse o que fazer com relação a essa causa, até para que eu pudesse levar o caso para a OMC (Organização Mundial do Comércio). E na OMC o João Gilberto massacra a EMI. Isso iria conferir mais respeito ao País.

O João Gilberto não quer falar um minutinho com a gente?

Eu adoraria, mas ele fez greve disso.

Por quê?

Há um tempo ficou muito chateado com algo que saiu, acho que alguma coisa o magoou muito mesmo. E quem está do lado do jornalista não entende o outro lado. Quando dá uma entrevista, ele não se vê na entrevista, sempre acha que alguma coisa não saiu legal. Diz que a outra parte que está te escutando tem de ter muita consciência senão a coisa degringola. E como aqui é difícil de achar essa outra parte, ele diz que prefere ficar quieto.

Você acha que a adulteração da obra do João feita por uma gravadora seria proposital?

Nosso espaço não pode existir. Eles mataram nossa indústria nascente, que eram esses discos do João. Foi obviamente uma questão de "não vamos deixar isso concorrer com a gente". Os tradutores da bossa nova são medíocres. Tudo é para indicar "olha gente, nem tendo um tesouro vocês vão ter o espaço".

Mesmo que esse tesouro seja alguém com a força de João Gilberto?

Sim, sei que também ele tem culpa, ele também não soube se defender, não teve forças. A bossa nova surgiu na época em que os Beatles foram para a América, quando visitaram a rainha da Inglaterra, que era a maior acionista da EMI. Essa música não interessava às hegemonias inglesa e americana. As músicas do João foram adulteradas quando ele ganhou o Grammy concorrendo com Rolling Stones e Louis Armstrong. Entendo por que o João ficou do jeito que ele ficou. Chega uma hora que a energia acaba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.