Orquestra de SP homenageia Camargo Guarnieri

Sob regência de Branco Bernardes, Orquestra lança dia 26 de novembro o CD 'Curumim - Camargo Guarnieri'

Milton F.da Rocha Filho, da Agência Estado,

21 de novembro de 2007 | 14h54

A Orquestra de Câmara Paulista, sob regência de Branco Bernardes, lança no dia 26 de novembro o CD Curumim - Camargo Guarnieri, da Coleção Clássicos Brasileiros 2, pela brazilmúsica!, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional. O CD traz obras do compositor Camargo Guarnieri (1907-1993), no ano em que é comemorado o centésimo aniversário de seu nascimento. Haverá um concerto grátis no mesmo local, às 20 horas, no Teatro Eva Herz. No repertório, composições do CD, com a participação da soprano Adriana Bernardes, que interpretará Quebra o Coco, Menina, Vai Azulão e Vamos Dar a Despedida.A Orquestra de Câmara Paulista gravou o CD Curumim - Camargo Guarnieri dentro da Coleção Clássicos Brasileiros, que começou com o lançamento, em 2006, do CD Sarau Brazil, com canções do século XVIII e XIX e os cantores Adriana Bernardes e Sandro Bodilon. O técnico de gravação do CD Curumim foi José Luiz Costa, conhecido como "Gato" no meio musical, do Estúdio Cia do Gato / Paulus. Costa é um dos mais renomados técnicos de gravação do País e o maior especialista no segmento de música erudita. Já realizou gravações para a Osesp e a OSB.   Dando continuidade à missão de resgatar a música clássica brasileira do esquecimento, neste novo CD pela brazilmúsica!, a Orquestra de Câmara Paulista amplia seu garimpo de preciosidades e ousadias, que traz a formação de 30 músicos para esse CD. Além de destacar a música paulista, com obras de Camargo Guarnieri - o maior compositor das Américas do século XX à exceção do colossal Villa-Lobos, a orquestra buscou obras relacionadas ao mundo infantil. "Dizemos relacionados ao mundo infantil por não se tratar de música apenas para crianças, mas de uma música também para crianças, uma vez que na complexidade de algumas peças que a orquestra selecionou é possível encontrar um olhar adulto sobre o universo infantil," explica Branco Bernardes, Diretor Artístico e Regente da Orquestra de Câmara Paulista.   Com versos de Juvenal Galeno (1836-1931), nosso pioneiro na busca de uma criação poética de caráter folclórico, Quebra o Coco, Menina é transbordante de brasilidade, entusiasmo e alegria. Vai, Azulão, com poesia de Manuel Bandeira (1886-1968), foi escrita, segundo depoimento de Vera Sílvia, no metrô de Paris. É de longe uma das mais famosas canções de Guarnieri. A última faixa, Vamos dar a Despedida, traz versos do folclore brasileiro, recolhidos por Sílvio Romero (1851-1914). Camargo GuarnieriMozart Camargo Guarnieri nasceu no dia 1º de fevereiro de 1907 em Tietê e faleceu em 13 de janeiro de 1993. Em 1920, com 13 anos, escreveu sua primeira peça, a valsa Sonho de Artista. Inicialmente estudou com os pianistas Ernani Braga, Antônio Sá Pereira e com o italiano Lamberto Baldi. Conheceu Mário de Andrade em 1928. Nessa época escreveu a Dança Brasileira. Camargo Guarnieri deu aulas no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo. Em 1935, Mário de Andrade convenceu o prefeito de São Paulo a criar o Coral Paulistano, sob regência de Camargo Guarnieri.Em meados de 1938, Camargo Guarnieri se mudou para a França, onde estudou com Charles Koechlin e o maestro François Ruhlmann, da Orquestra da Ópera de Paris. Em 1939, com a aproximação da Segunda Guerra Mundial, voltou ao Brasil, em grande dificuldade financeira. Em 1942, ganhou seu primeiro concurso internacional de composição e foi estudar a convite nos Estados Unidos. Camargo Guarnieri retornou ao Brasil em 1943, quando recebeu uma série de prêmios e tornou-se o regente da Orquestra Municipal de São Paulo. Em 1947, retornou aos Estados Unidos, onde foi convidado a reger a Orquestra Sinfônica de Boston.Na década de 1950, foi assessor do Ministro da Educação e, após a morte de Villa-Lobos em 1959, tornou-se presidente honorário da Academia Brasileira de Música. No ano de 1975, a Universidade de São Paulo fundou sua orquestra sinfônica, criada especialmente para Camargo Guarnieri. Em dezembro de 1992, ganhou o Prêmio Gabriela Mistral, oferecido pela Organização dos Estados Americanos (OEA), como o Maior Músico das Américas.Orquestra de Câmara PaulistaA Orquestra de Câmara Paulista foi fundada no segundo semestre de 1995, quando a partir de convite feito por Aylton Escobar, Branco Bernardes organizou a Orquestra de Cordas da Universidade Livre de Música da Secretaria de Estado da Cultura. As exigências de aprofundamento e expansão artística propiciaram a inclusão de instrumentos de sopro em 1998. A partir dessa fase, o grupo desvincula-se da Universidade Livre de Música e passa a se chamar Orquestra de Câmara Paulista, tendo como local de ensaios o Theatro São Pedro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.