Operação Elis

Arquivos abertos da família e outros materiais inéditos trazem à tona uma Elis que quase ninguém viu

Júlio Maria - O Estado de S.Paulo,

19 de março de 2011 | 06h00

Nem uma estratégia orquestrada em detalhes poderia ter seus nós tão bem amarrados. De repente, muita gente pensou em Elis Regina, e começou a agir.

Em conversas com João Marcello Bôscoli, produtor musical e um dos filhos da cantora, a gravadora Universal já tem acertado para 2012 o relançamento dos 21 álbuns que Elis gravou pela companhia. Eles sairão em CDs individuais remasterizados e em duas caixas de luxo, com mais um CD de raridades cada.

"Já estamos bolando uma série de coisas em conjunto com o João Marcello: site exclusivo com toda a discografia, relançamento dos álbuns em grande estilo e tudo mais que algo dessa magnitude mereça", diz José Eboli, presidente da Universal.

Grande, mas só o começo. Uma ‘operação Elis’, com um documentário de seis horas de duração, exposição, biografia e shows da filha de Elis, Maria Rita, por cinco cidades do País, compõem um projeto maior, chamado Redescobrindo Elis. Uma captação aprovada pelo Ministério da Cultura permite a João Marcello captar até R$ 5,8 milhões com patrocinadores para as investidas, programadas para o segundo semestre de 2012. "Assim que fiz 40 anos resolvi que deveria realizar algo maior pela minha mãe. E no ano que vem serão completados 30 anos da morte de Elis."

Ambicioso, mas não esgota o assunto. O fotógrafo Paulo Kawall, ‘apadrinhado’ por Elis aos 21 anos e que se tornou uma espécie de retratista oficial da cantora, anda por São Paulo com dois livros pesados em busca de patrocínio. São fotos exclusivas que Paulo tirou da artista, muitas vezes a pedido da própria, entre 1976 e 1982, em formatos gigantes para os padrões de livros assim - 30 cms por 40 cms (leia na página ao lado). Em busca de patrocínio, Kawall não quer ceder às exigências da Lei Rouanet, pelas quais ele teria de mudar o formato e a feitura do livro para barateá-lo.

O mergulho mais profundo de Redescobrindo Elis está nas mãos do paulista Allen Guimarães, 44 anos. Em 2005, o então estudante de cinema em Uberlândia passou a seguir os rastros de quem quer que tivesse algo interessante a dizer sobre Elis Regina. Entrevistou quase 50 pessoas, dentre elas Gal Costa, Gilberto Gil, Marília Pera, André Midani, Milton Nascimento, Nelson Motta e Jair Rodrigues. Uma cena retirada daqui, uma fala a menos ali, e restaram ainda seis horas de imagens, nas quais ele se recusou a mexer. "Chegou uma hora em que falei: ‘Vou fazer do jeito que eu quero’."

 

O Documentário

Capítulo 1

O início de carreira. A conquista com Arrastão no Festival de 65. O programa O Fino da Bossa.

Capítulo 2

O encontro com o gaitista belga Toots Thielemans. A passeata contra a guitarra no final dos anos 60. O show Falso Brilhante e o dueto histórico com Tim Maia, em 1971.

Capítulo 3

A atuação política de Elis, a ditadura, o programa Som Livre Exportação, o encontro com César Camargo Mariano.

Capítulo 4

A Elis política. A mãe e dona-de-casa e os espetáculos Falso Brilhante e Transversal do Tempo.

Capítulo 5

O Festival de Montreux e a série Grandes Nomes, da Globo.

Hermeto Pascoal fala sobre o polêmico dueto no Festival de Montreux em 1979.

Capítulo 6

Os shows Saudade do Brasil e Trem Azul

Tudo o que sabemos sobre:
Elis ReginaMPB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.