Ópera revela faceta pouco conhecida do compositor

Villa-Lobos ficou conhecido pela recriação, no ambiente da música clássica, do folclore brasileiro. Em Yerma, no entanto, o idioma musical extremamente pessoal busca inspiração em outras praças e compositores como Puccini e Strauss são referências visíveis. Em que pesem alguns problemas de orquestração, dando trabalho ao maestro Marcelo de Jesus para manter o equilíbrio entre vozes e orquestra, a ópera é bastante funcional dramaticamente, com grandes papéis. Yerma é, claro, o maior deles. Seu nome quer dizer "árida" e ela passa a ópera às voltas com o desejo não concretizado de ser mãe. Lorca usa a história para falar da oposição entre indivíduo e sociedade, desejo e regra,tônica da montagem de Alex Aguilera. Eliane Coelho saiu-se bem em um papel que leva a cantora de um extremo a outro do registro vocal. Outros destaques foram o tenor Marcello Puente, como Juan, e a mezzo Keila de Moraes, como a Velha. / J.L.S.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.