Ópera Nacional Inglesa entra em greve

Membros do coro e da Ópera Nacional Inglesa entraram em greve hoje pela primeira vez na sua história, em protesto contra o plano de redução de pessoal preparado pela companhia. Os 60 cantores disseram que não atuarão na apresentação marcada para a noite de hoje de As Troianas, de Berlioz, no Coliseu de Londres.Em vez disso, os cantores organizaram um recital gratuito do Réquiem, de Verdi, na igreja de São Paulo do Covent Garden, para o público, convidados e fãs.O grêmio dos artistas afirmou que os cantores votaram por unanimidade a favor da greve quando a Ópera Nacional ameaçou eliminar 20 dos empregados fixos do grupo a fim de reduzir custos.Outras greves de um dia estão planejadas para os dias 3 e 16 de abril e 8 e 15 de maio, segundo informou o grêmio. A gerência da Ópera planeja substituir os empregados fixos por contratados por curto prazo. Há meses a companhia passa por uma profunda crise financeira. Em janeiro, o Conselho de Artes da Inglaterra concedeu uma dotação milionária para manter a entidade. A companhia deve no momemto US$ 3,2 milhões, mas no início deste ano devia US$ 4,2 milhões, antes da dotação do conselho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.