Ônibus servirão de galeria em Belo Horizonte

Arte no Ônibus. É este o nome do projeto que é lançado hoje pela BHTrans (Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte), com o objetivo de divulgar o trabalho de artistas conhecidos ou não dentro dos ônibus da cidade. Segundo a BHTrans, a iniciativa é pioneira no Brasil. Dentro da filosofia de "levar a arte aonde o povo está", a empresa pretende afixar seis cartazes adesivos diferentes a cada 45 dias na parte interna traseira dos 2.952 ônibus gerenciados pela empresa. Serão textos, fotografias, esculturas e pinturas, totalizando 42 imagens no período de um ano. Como estímulo, a seleção das obras a serem exibidas será feita por concurso aberto ao público. Serão escolhidos 30 trabalhos a partir do concurso (os três primeiros lugares receberão prêmios em dinheiro). Os outros 12 serão de artistas consagrados, com participação já confirmada de Adélia Prado, Arnaldo Antunes, Carlos Ávila, Fernando Velloso, Isaura Pena, José Alberto Nemer, José Luiz S., Marcos Benjamim, Marco Túlio Rezende, Maria do Carmo Freitas, Mário Azevedo e Sebastião Miguel.Este projeto recebeu aprovação conforme as leis municipal e federal de incentivo à cultura. As empresas que investirem nesta divulgação da cultura terão seus nomes estampados nos adesivos e sua marca será vista, diariamente, por 1,650 milhão de usuários de ônibus. Arte e informação - O projeto Arte no Ônibus vem complementar a iniciativa da BHtrans de fazer dos ônibus um eficiente meio de comunicação e circulação de idéias. Desde 1994, já circula nos ônibus de Belo Horizonte o Jornal do Ônibus, informativo quinzenal criado durante a administração de Patrus Ananias.A primeira edição do jornal que circulou tinha o objetivo de informar 1,6 milhão de passageiros sobre as ações da Prefeitura de Belo Horizonte. Ao longo de sua história, o jornal passou por diversas mudanças no layout e hoje tem uma tiragem de 8 mil exemplares. Hoje, o informativo mescla notícias da Prefeitura e da comunidade, além de trazer sessões interativas e de curiosidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.