Sergio Castro/Estadão
Sergio Castro/Estadão

ONG vai entregar petição para Doria manter a Virada Cultural no Centro

Entidade também quer transformar o evento em patrimônio imaterial da cidade de São Paulo, com as características atuais

O Estado de S. Paulo

07 de dezembro de 2016 | 11h10

A ONG Minha Sampa está encabeçando um movimento para entregar uma petição ao prefeito eleito de São Paulo João Doria, e ao Conpresp (conselho municipal do patrimônio), para que a Virada Cultural permaneça no Centro da cidade, e que seja tombada como patrimônio imaterial.

"Desde 2005, nós paulistanos temos experimentado uma nova forma de viver a cidade. Em 12 anos de Virada Cultural, centenas de palcos tomaram o centro da cidade e democratizaram o acesso à obra de milhares de artistas. Mas o grande palco sempre foi a rua. E a ocupação do espaço público e o convívio entre nós cidadãos, o verdadeiro sentido", escreve a identidade no seu site.

Entre os motivos para a manutenção do evento no Centro, a ONG cita o público - 3 milhões em 2016 (o Autódromo de Interlagos consegue receber 80 mil), a ocupação das ruas (inspiração da Virada em um evento parisiense), e a busca por soluções para o problema da segurança pública na região.

Em um evento nesta terça-feira, 6, João Doria disse estar tranquilo com sua decisão. "Crítica é sempre válida, faz parte do jogo. Quero lembrar que o André Sturm, secretário de Cultura, esclareceu as transformações que nós vamos ter na Virada Cultural. Para garantir a sua continuidade, seu valor histórico, mas garantir também também segurança das pessoas que vão participar em todos os níveis em todos os sentidos", afirmou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.