"Omnibus" retrata movimentos urbanos

O chacoalhar das pessoas dentro deônibus e trens, aperto, vendedores ambulantes e pedintes,personagens e situações corriqueiras do cotidiano de quem usa otransporte público foram a inspiração para a coreografiaOmnibus, do grupo Omstrab. A peça será apresentada amanhãno Centro Cultural Banco do Brasil. Um saboroso diálogo entre dança, teatro e música. Acompanhia explora situações do dia-a-dia em movimentos e cenasregadas à música ao vivo, executada pelos próprios artistas emcena. A proposta do grupo é criar um musical contemporâneo, nadaparecido com aqueles elaborados por Hollywood ou os antigos daAtlântida. "A inspiração para nossos espetáculos vem das festaspopulares, que lidam com as três expressões artísticas de formadescontraída, sem amarras", diz o diretor Fernando Lee. A trilha sonora de Omnibus segue essa tendência.Chorinho, caboclinho, ladainha de capoeira e modas de viola sãoexecutadas com alguns instrumentos pouco convencionais. "Nãosomos tradicionais todo o tempo, alguns objetos são apropriadosde maneiras diferentes como uma roda de carro, buzinas eescapamentos, utilizados para percussão." Os movimentos sofrem influência da formação clássica deLee, que passou por companhias como o Stagium, Balé da Cidade eGrupo Marzipan. Artes marciais e pinceladas de improvisaçãoconstituem a peça. "Os improvisos ocorrem em momentosdeterminados, inclusive na música. A cena mostra uma pessoadentro de seu carro ultramoderno, mas preso em umcongestionamento. De nada adianta toda essa modernidade,principalmente ao observar que alguém caminhando podeultrapassar o veículo." Uma crítica ao trânsito caótico dehoje. O musical contemporâneo vai além da descrição, tambémfaz uma brincadeira com o invento das caravelas e a navegaçãovia Internet. "Antes, uma encomenda demorava cerca de doismeses para chegar; hoje, com os serviços na rede, em poucashoras você pode adquirir produtos e informações." Após aapresentação, haverá um debate com o grupo. Serviço - Cia. Omstrab. Amanhã, às 19 horas. De R$ 3,00 a R$ 6,00. CentroCultural Banco do Brasil. Rua Álvares Penteado, 112, tel. (11) 3113-3651. E 10/7.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.