O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2011 | 03h10

O vibrafone de Jason Adasiewicz, o mais carismático dos novos jazzistas, arromba as fronteiras entre a improvisação do free jazz e o mainstream; "espancando" seu vibrafone como se fosse uma bateria de heavy metal, e a novidade pode vir do uso do pedal.

3.

Julian Lage (o New York Times ensinou aos americanos a pronúncia do sobrenome: Lahj) tocou seis anos com o vibrafonista Gary Burton, mais alguns com Fred Hersh, e é tão garoto quanto experiente. Seu timbre e sua abordagem assombram.

4.

"A bateria alerta de Tomas Fujiwara tem abastecido alguns conjuntos excelentes para a paisagem da nova música", disse o New York Times sobre os talentos do garoto de Boston, que já tocou com Norah Jones e Joe Chambers. E compõe até para teatro.

1.

O saxofonista Miguel Zenon, aos 35 anos, já é um veterano nessa turma, mas sua releitura solar de boleros e baladas clássicas é um sopro de originalidade no jazz. Seu "padrinho" é Branford Marsalis, mas sua trajetória é livre desde a academia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.