Olhares femininos sobre o Irã

Protagonista de uma das mais interessantes mesas da oitava edição da Flip - quando conversou sobre literatura e política internacional com o escritor israelense A.B. Yehoshua -, a iraniana Azar Nafisi volta a expressar por aqui seus contundentes pontos de vista acerca do país onde nasceu e cresceu. Desta vez, o debate será em São Paulo,ao lado de duas jornalistas brasileiras, Adriana Carranca, repórter especial do Estado, e Marcia Camargos.

, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2010 | 00h00

A conversa ocorre amanhã, às 13 h, no Salão de Ideias da Bienal do Livro, e abordará a condição das mulheres iranianas pós-Revolução de 1979 - tema do livro O Irã Sob o Chador - Duas Brasileiras no País dos Aiatolás, que resultou de experiências das jornalistas em viagens àquele país. Ou seja, o debate permitirá conhecer tanto a visão ocidental de alguém que mergulhou naquela cultura quanto a percepção de quem viveu de perto as grandes transformações na sociedade iraniana no século passado - Azar Nafisi, que hoje vive e leciona literatura em Washington, relatou tais vivências no best-seller Lendo Lolita em Teerã e no mais recente O Que Eu Não Contei.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.