Odetto Guersoni, mestre das técnicas, na Pinacoteca

Exposição que abre sábado mostra que ele fez da gravura sua melhor expressão

Agencia Estado

02 de julho de 2007 | 08h56

Neste ano, Odetto Guersoni fez uma grande doação de 78 de suas obras à Pinacoteca do Estado, conjunto que foi incorporado às peças de sua autoria que já pertenciam ao museu. Artista nascido em 1924, fez pinturas, esculturas, mas a gravura é seu gênero de preferência. Guersoni dedicou grande parte de sua longa trajetória a experimentar diversas técnicas da arte gráfica, até mesmo, a inventar novas técnicas. É o que o público poderá ver na exposição Odetto Guersoni no Gabinete de Gravura Guita e José Mindlin, que será inaugurada neste sábado, 30, no espaço dedicado a mostras de artes gráficas, no terceiro andar da Estação Pinacoteca. Com curadoria de Ana Paula Nascimento, a mostra apresenta a gravura de Guersoni por meio de 54 criações realizadas entre a década de 1940 e 2003.A exposição, como diz Ana Paula, da equipe de curadores da Pinacoteca, foi pensada para mostrar o percurso da gravura de Guersoni. "Nela está uma das duas únicas litografias que ele fez na vida", diz a curadora. "Ele sempre esteve em busca da perfeição", completa.Odetto Guersoni nasceu em Jaboticabal. Chegou a São Paulo jovem, com 17 anos, para estudar arte, no Liceu de Artes e Ofícios. Sua formação foi com a pintura e, como conta a curadora, foi o artista Mário Zanini o seu grande incentivador no início de sua carreira. A partir desse convívio, Guersoni teve certa relação também com o Grupo Santa Helena, do qual Zanini fazia parte, na década de 1940 - a litografia presente na mostra, Rua Fondary, Paris, de 1948, que apresenta os arredores da cidade, uma tomada de casarios, de certa maneira remete às pinturas que os integrantes do grupo faziam. Mas, segundo Ana Paula Nascimento, a relação com o Santa Helena não foi determinante para a sua carreira. Se for para falar em grupo, o melhor é destacar sua participação, em 1947, da exposição do Grupo dos 19, com Marcello Grassmann, Sacilotto e Lothar Charoux, entre outros, na Galeria Prestes Maia.Gravura Em 1948, Odetto Guersoni ganha uma bolsa do governo francês e vai a Paris estudar. Lá descobre a gravura e começa a se dedicar às artes gráficas, primeiro fazendo a técnica do metal.Depois dessa experiência, a gravura torna-se seu gênero por excelência. Odetto Guersoni faz, por exemplo, gravuras em sintonia com as preocupações expressionistas, como é visível na xilogravura À Margem da Vida, de 1950. Mas, ao mesmo tempo, é curioso como ele inicia suas inovações.Como diz a curadora, a amizade com outro artista, Aldo Bonadei, foi importante para a arte de Guersoni. Bonadei trabalhou com o bordado, com a costura, e com esse espírito de experimentação eles desenvolvem a filigrafia, "que consiste na utilização de fios de lã costurados na matriz, em um suporte duro, permitindo a impressão de relevos". Em uma das obras feitas por meio dessa técnica, O Quadro, de 1952, duas figuras humanas, estilizadas, são feitas apenas com uso de linhas.PlastigrafiaOutra inovação de Guersoni, na década de 1960, foi a técnica da plastigrafia, criada numa fase, segundo a curadora, mais gestual de sua arte, influenciada pelos caminhos apresentados nas Bienais de São Paulo naqueles anos. Por meio da plastigrafia, a matriz da gravura é forrada por gesso ou argila, por exemplo, e o artista faz o desenho usando objetos como um pente, uma caneta.A partir de então, a abstração vai se firmando nas obras de Guersoni, inclusive, "a geometria se impõe", afirma Ana Paula. Um mestre em várias técnicas e frentes, Odetto Guersoni faz obras em que as formas geométricas vão se justapondo, com o uso das cores, ele cria até mesmo transparências, faz relevos. Na década de 1970, ele cria mandalas e obras também com referência à optical art (uma das paredes da mostra é dedicada a essas séries). Enfim, com o tempo, Guersoni vai misturando todas essas experiências e, como vê o visitante, essa é uma mostra de um artista que esteve "sempre pensando a gravura", como afirma a curadora, sem deixar de lembrar que o gravador também se dedicou a ensinar.Odetto Guersoni. Estação Pinacoteca. Largo General Osório, 66, Luz, centro, tele- fone 3337-0185. De 3.ª a dom., das 10 às 18 horas. R$ 4 (sáb. grátis). Até 30/9

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.