"Odeio a mim mesma" é texto de broche em Frankfurt

Um dos broches (pins) mais disputados pela moçada que freqüenta a Feirade Livros de Frankfurt tem um desenho meio gótico de uma garota que lembraa Vandinha da Família Adams e que diz o seguinte: "Odeio a mim mesma equero morrer". A frase, na verdade, é o titulo de um livro organizadopelo inglês Tom Reynolds e reúne as 52 músicas mais depressivas que alguémjá ouviu na vida. O pin, assim como o livro, são alguns dos destaques da editora britânicaSanctuary, especializada em obras modernetes. A de Reynolds, por exemplo, é uma bem humorada compilação e começa lembrando que a históriacomeça há muito tempo, quando os poetas passaram a musicar seus versos."Foi uma dúbia decisão", comenta o autor, "porque poetas são pessoasmuito pobres: não têm dinheiro, vestem-se mal e, ainda por cima, suasfamílias acham que eles deveriam arrumar um emprego de verdade". Em seguida, Reynolds lista e vira de cabeça para baixo músicas de BruceSpringsteen, Evanescence, Loretta Lynn, The Beatles, Celine Dion, BobbyDarin, Frank Sinatra, The Cure, The Doors e Joy Division. Como ele mesmodiz, são canções desde o tipo "ela-me-odeia-então-odeio-as-músicas-dela"até "vou-contar-uma-história-pois-ninguém-quer-ouvir-músicas". As edições da Sanctuary tem um espírito bem ao gosto inglês, ou seja, umestilo elegante que serve apenas para embrulhar um texto sem papas nalíngua. Um dos primeiros lançamentos do próximo ano, por exemplo, é umadesautorizada biografia de Mick Jagger, escrita pelo critico AlanClayson. Ele cobre seis décadas de história, desde a provinciana educação, regadaa aventuras sexuais, do jovem Michael Philip Jagger até seus afetadosmaneirimos de estrela máxima do rock. A editora inglesa aposta também no fôlego iconoclasta do documentaristaMichael Moore. Em um livro cujo título apresenta um delicioso trocadilhoem inglês (Moore & Us), Jesse Larner analisa a figura do cineasta que,ao se tornar uma figura folclórica contra o governo Bush, levanta umasérie de dúvidas: seus berros contra o presidente americano vem de umempresário oportunista ou de alguém que realmente se preocupa com odestino da nação? No catálogo da Sanctuary estão ainda Fool the World, uma história oraldo The Pixies, e The Rolling Thunder Logbook, nova edição do diário queo escritor e dramaturgo Sam Shepard fez da maluca excursão capitaneadapor Bob Dylan, em 1975, por 22 cidades americanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.