Obras olímpicas revelam relíquias culturais na China

O surto de construções que movimentabilhões de dólares na China antes da Olimpíada de 2008 járevelou centenas de relíquias antigas, algumas com 2.000 anosde idade, o que deixa arqueólogos ávidos por peças na trilhados operários. O diretor da Administração Estatal da Herança Cultural,Shan Jixiang, pediu às autoridades locais que realizeminvestigações arqueológicas nos terrenos antes das obras, disseo jornal China Daily na terça-feira. Mas, na pressa para concluir os trabalhos antes da aberturados Jogos de Pequim, em 8 de agosto, as máquinas estão ditandoo ritmo aos pesquisadores. "Os arqueólogos de Pequim estão seguindo as escavadeiras",disse ao jornal um arqueólogo da prefeitura, que pediuanonimato. Mais de 1.500 artefatos de ouro, cerâmica, jade e outrosmateriais já foram encontrados nos locais onde ficarão asinstalações olímpicas, além de mais de 700 tumbas antigas,segundo o jornal. O arqueólogo disse que algumas das relíquias remontam àdinastia Han (206 a.C a 220 d.C.). O forte crescimento econômico chinês já representou a mortede muitos "hutongs" (becos) históricos e de outros íconesarquitetônicos da capital. Mas o problema não se restringe aPequim. "As cidades chinesas passaram por enormes mudanças, sendoque muitos de seus bairros antigos foram reformulados,frequentemente em detrimento da sua herança cultural," disseShan ao jornal. De acordo com Shan, o governo vai investir mais napreservação de cem monumentos históricos importantes, como aGrande Muralha e alguns trechos da área comercial conhecidacomo rua da Seda. "Os próximos anos serão um momento crítico para esteslocais devido à urbanização em curso."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.