Obras do modernista Brecheret ganham exposições paralelas

'Escultor de São Paulo' também tem 17 obras espalhadas por praças, parques e prédios públicos da cidade

Marina Vaz, de O Estado de S. Paulo,

30 de outubro de 2009 | 09h58

O termo ‘blasé’ define o sentimento de indiferença causado pelo excesso de familiaridade. Talvez seja esta a explicação para o fato de as esculturas de Victor Brecheret (1894- 1955) passarem despercebidas por muitos paulistanos. O chamado ‘escultor de São Paulo’ tem 17 obras espalhadas por praças, parques e prédios públicos da cidade - mais do que a dupla de grafiteiros paulistanos Osgemeos, por exemplo, que você certamente considera ‘a cara de São Paulo’.

 

Veja também:

especial Especial: Brecheret em público

 

Ainda assim, nem todos se lembram delas. Nesta semana, duas exposições sobre o criador do ‘Monumento às Bandeiras’, no Parque do Ibirapuera (lembrou-se agora?), podem garantir ao artista a atenção que ele merece. Na 3ª (3), será inaugurada, no Sesc Vila Mariana, ‘Brecheret e a Escola de Paris’, que mostra as influências do grupo francês em sua obra. Na 5ª, é a vez de ‘A Arte Indígena de Victor Brecheret’, na Caixa Cultural, com a fase mais ‘rústica’ do artista.

 

Como São Paulo já é uma exposição aberta de Brecheret, o Guia selecionou alguns de seus trabalhos que estão nas ruas. Cedo ou tarde, você vai se deparar de novo com um destes ‘brecherets’ pela cidade. Da próxima vez, tente não ser tão ‘blasé’.

 

Serviço

 

Sesc Vila Mariana. Hall de Exposições e Atrium. R. Pelotas, 141, 5080-3000. 9h/21h30 (sáb.,dom. e fer., 10h/18h30; fecha 2ª). Abre 3ª (3). Grátis. Até 3/1.

 

Caixa Cultural. Pça. da Sé, 111, 3321-4400. 9h/21h (fecha 2ª). Abre 5ª (5). Grátis. Até 10/1.

 

(Colaborou Ilana Lichtenstein)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.