Obra-prima de Octavio Paz faz 50 anos

Cerca de 40 intelectuais de seis países vão analisar a obra-prima O Labirinto da Solidão, do escritor mexicano Octavio Paz, Prêmio Nobel de Literatura, para comemorar os 50 anos de sua publicação, informou o escritor Guillermo Sheridan, diretor da Fundação Octavio Paz.Sheridan explicou que intelectuais de Cuba, Espanha, França, México e Reino Unido vão participar do Colóquio Internacional Os 50 anos da Publicação de O Labirinto da Solidão, que se realizará na capital mexicana de 20 a 27 de agosto. Durante o colóquio, disse Sheridan, serão discutidas a obra de Paz, que morreu de câncer em abril de 1998, aos 82 anos. O Labirinto da Solidão analisa os primeiros 50 anos do século 20 da história do México. ?Octavio Paz escreveu este livro aos 35 anos e, desde então, mudou a concepção que os mexicanos tinham de si mesmos e do mundo, além de influir em dezenas de escritores contemporâneos?, destacou o diretor da Fundação. O escritor mexicano Carlos Monsiváis inaugurará o colóquio com a conferência Da Solidão à Modernidade. O evento contará também com a participação de Roger Bartra, Ramón Xirau, Alejandro Rossi, Federico Reyes Heroles, Rafael Segovia, Alvaro Matute, Jean Meyer, Eduardo Matos e Yvon Grenier, entre outros. O Labirinto da Solidão foi publicado pela primeira vez na coleção Cadernos Americanos, em 1950, e foi traduzido em vários idiomas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.