Reprodução
Reprodução

Obra de Roy Liechtenstein é vendida por US$ 43,2 milhões nos EUA

Uma das primeiras pinturas do artista a utilizar os quadrinhos como referência marca o início da pop art

EFE

09 de novembro de 2011 | 15h24

A obra "I can see the whole room, and there's nobody in it!" ("Posso ver o quarto inteiro, e não há ninguém nele") do pintor americano Roy Lichtenstein foi vendida nesta terça-feira por US$ 43,2 milhões em um leilão na Christie's de Nova York.

"Trata-se de uma das primeiras pinturas nas quais o autor se apropria da estética das histórias em quadrinhos e marca o que conhecemos como pop art", disse à Agência Efe o responsável de arte de pós-guerra e contemporânea da casa de leilões, Koji Inoue.

Lichtenstein (1923-1997) pintou o quadro em 1961 e nele retratou um homem que olha através de um buraco em uma parede e pronuncia a frase que dá nome à obra.

"É um trabalho seminal e um contra-ataque ao que faziam na época os expressionistas abstratos", declarou Inoue.

O preço da obra representa um recorde de venda para o artista, de acordo com a Christie's, que lembrou que este mesmo trabalho foi leiloado em 1988 e adquirido por US$ 2,09 milhões.

Outra obra de Lichtenstein, "Ohhh ... Alright ...", que retrata uma mulher nervosa falando por telefone, havia sido vendida em novembro de 2010 por US$ 42,64 milhões.

No mesmo leilão, uma das obras mais emblemáticas e conhecidas da pop art, "Four Campbell's Soup Cans Images" elaborada por Andy Warhol (1928-1987), foi adquirida por US$ 9,82 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
Roy Liechtensteinartes visuaispop art

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.