Obra de Miyazaki chama atenção na Feira de Anime de Tóquio

Visitantes foram recebidos no evento por personagens feitos pelo respeitado diretor de animação

Fernando A. Busca, da Efe,

27 de março de 2008 | 14h00

A última obra da produtora de animação japonesa Studio Ghibli, Ponyo on the Cliff by the Sea, chamou a atenção nesta quinta-feira, 27, durante a abertura da Feira Internacional de Anime de Tóquio (TAF), a mais importante do gênero no mundo.   Além de ser um dos poucos estúdios com distribuição em salas comerciais de exibição em todo o mundo, a Ghibli é extremamente popular no Japão, motivo pelo qual grande parte dos visitantes da feira parou em seu stand.   Junto aos personagens criados pelo respeitado diretor de animação Hayao Miyazaki, como a princesa Mononoke, Totoro e Ponyo, os visitantes foram recebidos por Doraemon, Naruto e Astroboy, os verdadeiros responsáveis pelo interesse cada vez maior pelo evento.   Em sete anos de feira, o número de empresas participantes triplicou, até alcançar 270, e a organização calcula que o público da edição deste ano chegue a 120 mil pessoas, entre compradores e fãs.   O interesse em Tóquio é tamanho que, no ano passado, durante os dois últimos dias de feira, mais de 5 mil pessoas fizeram fila para conseguir entrar no local do evento.   Alguns dos visitantes participam do evento somente para tirar fotos das sensuais atendentes vestidas com roupas de desenhos animados, embora a maioria vá mesmo para ficar por dentro das últimas novidades do campo da animação.   O anime, que surgiu em meados do século XX como uma extensão audiovisual do mangá - histórias em quadrinhos japonesas -, tem grande audiência nos mercados próximos ao Japão, como Coréia do Sul, China e Hong Kong.   Estes países não se limitam apenas a consumir anime, e já fazem suas próprias produções. Desta forma, os participantes estrangeiros não vão a Tóquio apenas para comprar direitos das produções japonesas, pois países próximos, como China e Taiwan, têm pavilhões próprios para exibirem as novidades de suas animações.   O pavilhão de Taiwan, com dez empresas, é patrocinado pelo governo local, dado que indica a importância do setor de animação para a ilha.   O vice-prefeito de Tóquio, Kazuhisa Yamaguchi, declarou que espera que um grande comparecimento de público à feira, para que os visitantes possam conferir "o entretenimento e a grandeza" da animação japonesa. "Tóquio é o centro do negócio internacional da animação. Esta feira transmite informação atualizada sobre anime para todo o mundo", disse Yamaguchi.   Em um país apaixonado por tecnologia como o Japão, os últimos avanços em telecomunicações também foram lançados para o mundo da animação.   A companhia Tezuka, tradicional do setor e criadora de personagens como o Astroboy, apresenta este ano uma inovação para a leitura do mangá em celulares, na metade do caminho entre a animação e a história em quadrinhos tradicional.   Segundo disse à agência de notícias Efe um dos diretores da companhia, os usuários se queixavam de que o formato para celular os obrigava a pressionar muitas teclas para navegar na história em quadrinhos. Para acabar com esse problema, a empresa criou "um sistema de navegação automática com música e efeitos" que enriquecem a leitura. Já o estúdio italiano Misseri também exibiu sua inovadora animação, baseada em figuras de argila.

Tudo o que sabemos sobre:
animemangásJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.