Obra de Kafka está inacabada, afirma biógrafo

Nos cadernos em que escrevia, Franz Kafka não fazia distinção entre ficção e realidade: seus diários eram literários e sua obra uma revelação íntima. É esta a opinião do filólogo Reiner Stach, que está preparando uma nova biografia do escritor. Para ele, a publicação na Europa do segundo volume das obras completas está dando uma idéia mais realista e precisa do escritor de Praga. Stach diz que entender esse conceito dará às pessoas uma visão mais humana a respeito da figura de Kafka, mesmo que alguns possam se decepcionar ao perceber que a obra do escritor está, na verdade, inacabada. "A culpa, porém, não é de Kafka, mas de seu editor, Max Brod, que dava a entender que as obras publicadas haviam sido finalizadas pelo escritor", diz Stach. A vida de Kafka, aliás, é o tema de uma nova ópera que estreou na semana passada em Paris: K... A Obra, composta pelo francês Philippe Manoury baseia-se em O Processo, um de seus mais célebres trabalhos. Trata-se de uma ópera experimental, com a integração de recursos de computação à música, promovida por equipes do Instituto de Investigação e Coordenação Acústica do Centro Pompidou de Paris, preocupados, segundo Manoury, em manter a "estética da fragmentação", presente na obra de Kafka.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.