Obra de Georges Simenon começa a ser reeditada em maio

Mais de 300 títulos do autor belga, conhecido por livros policiais, serão lançados em eventos por várias cidades do País

Antonio Gonçalves Filho / Ubiratan Brasil, O Estado de S. Paulo

28 de março de 2014 | 23h31

A vasta obra do escritor belga Georges Simenon (1903-1989) vai ganhar roupa nova em maio, quando começará a reedição de mais de 300 títulos, agora sob a chancela da Companhia das Letras. A editora, aliás, promete um lançamento memorável com a vinda do filho do escritor, Jean, que participará de eventos em cidades como São Paulo e Porto Alegre, onde falará sobre o trabalho do pai.

Conhecido pela obra policial, especialmente os livros do inspetor Maigret, Simenon foi um autor de extraordinária fecundidade, deixando 192 romances, 158 novelas, além de obras autobiográficas e numerosos artigos e reportagens assinados com seu nome (é notória uma análise que fez da obra do cineasta Federico Fellini), além de mais de 176 romances, dezenas de novelas, contos e artigos assinados sob 27 pseudônimos diferentes.

Herbert Lewis em alta

O escritor norte-americano Herbert Clyde Lewis (1909-1950) era tão popular na época da Segunda Guerra que o governo norte-americano enviava a seus soldados cópias de seu romance Gentlemen Overboard (1937), sobre um agente da Bolsa de Nova York, de hábitos regulares, que empreende uma viagem a Honolulu e cai do navio, conduzido à dúvida se alguém notou sua ausência. É Sartre encontrando Woody Allen nesse esplêndido livro agora redescoberto.

De olho nos menores

A Nova Conceito está de olho agora em leitores de 8 a 12 anos e, para isso, lança um novo selo, o #irado. Os primeiros títulos são Boneca de Ossos, de Holly Black (tiragem de 30 mil exemplares), em abril, e Caçadores de Tesouro, de James Patterson. Será a oportunidade de se conhecer uma nova faceta de Patterson, popular por suas séries de suspense.

On the road again

O poeta beat norte-americano Lawrence Ferlinghetti, fundador da mítica livraria City Lights e um dos grandes da geração beat, vendeu os direitos de seus diários de viagem para a W.W. Norton. Ferlinghetti, que editou seus amigos beats e foi processado por obscenidade ao publicar o livro de poemas Uivo, de Allen Ginsberg, escolheu como título de seu diário Writing Across the Landscape: Travels Journals (1953-2013). O livro será publicado em setembro de 2015.

NY sem livrarias

Não é só São Paulo que sofre com a alta dos aluguéis de lojas comerciais. Nova York tem testemunhado o fechamento de grandes e tradicionais livrarias, motivado pelos preços estratosféricos das locações. Recentemente, a Rizzolli, na Rua 57, foi comunicada por seu locador de que o prédio que ocupa será demolido. Outras grandes seguem o caminho de livrarias independentes como a Coliseum. As vendas caem, mas os aluguéis sobem em NY, podendo chegar a US$ 40 mil por mês.

Narrativas curtas

A editora digital e-galáxia estreia novo selo, Formas Breves, com a publicação do conto Averrós, de José Luiz Passos, prêmio Portugal Telecom de 2013. Dedicado à publicação de contos, o selo vai lançar um novo e-book por semana. Entre os autores estão Marcelino Freire e Nuno Ramos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.