Obra de Ernesto Neto abre 35.º Festival de Outono de Paris

O ministro de Cultura da França, Renaud Donnedieu de Vabres, inaugurará nesta sexta-feira uma instalação que o artista plástico brasileiro Ernesto Neto criou especialmente para o Panteão de Paris. Chamada de "Léviathan Thot", a obra foi encomendada pelo Ministério de Cultura francês para abrir a 35.ª edição do Festival de Outono de Paris.A instalação estará exposta até o dia 31 de dezembro "sob a cúpula de um dos monumentos franceses mais significativos da história", declarou o Ministério através de um comunicado.Já os organizadores do evento afirmaram que Ernesto Neto se destaca pela "singularidade com que aborda as noções de corpo e espaço".Como em outras de suas obras, nas quais utiliza materiais "flexíveis, translúcidos e epidérmicos", o objetivo do artista é privilegiar "a imersão sensitiva do visitante" e dar a ele a possibilidade de "refletir sobre a passagem do tempo e a fragilidade do mundo".Ernesto Neto concebeu sua obra como um "corpo espacial" e a construiu "como um organismo de contato entre dois elementos", o corpo e seus arneses, tudo isto suspenso "até encontrar a identidade de sua forma só no equilíbrio resultante de um conflito entre gravidade e matéria, até se imobilizar".O resultado é uma obra antropomórfica que foi chamada de Leviatã, o monstro descrito no livro bíblico de Jó."Além da possível análise filosófica", ao comentar sua nova evocação sobre "o conflito entre natureza e cultura", o artista lembrou sua procedência de uma cidade "na qual a Natureza, onipresente, leva este conflito até o paroxismo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.