Objetos de Tony Curtis, morto em 2010, vão a leilão

Uma casa de leilões de Los Angeles anunciou na terça-feira a venda de objetos que pertenceram ao ator Tony Curtis, de "Quanto Mais Quente Melhor".

REUTERS

09 de agosto de 2011 | 20h00

Entre os itens oferecidos há obras de arte, joias e objetos quase triviais, como uma cigarreira de safira de ouro 14k, de origem russa, que deve sair por 4.500 a 6.500 dólares. O leilão está marcado para setembro.

Curtis, que morreu em 2010, aos 85 anos, era um amante da arte e também pintava. "Acho que ele iria adorar a exposição que criamos. Ele está olhando para baixo agora e torcendo para que os itens encontrem um bom lar, porque ele realmente amava essas peças", disse Darren Julien, presidente da Julien's Auctions.

Um dos itens mais disputados da coleção deve ser um sapato feito por Andy Warhol em homenagem a "Quanto Mais Quente Melhor", avaliado em 20 a 30 mil dólares.

Curtis fez mais de cem filmes em 60 anos de carreira, sendo aclamado tanto em papéis cômicos quanto dramáticos. Já sua vida pessoal foi bastante turbulenta -- ele se casou cinco vezes, sendo a primeira e mais famosa com a atriz Janet Leigh.

(Reportagem de Jason Kandel)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTECURTISLEILO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.