Objetos de Johnny Cash vão a leilão

Os fãs de Johnny Cash têm a chance, esta semana, de levar para casa desde uma simples fivela de um cinto dele até seu Rolls-Royce ou, talvez ainda melhor que isso, um violão de série limitada autografado por ele, o velho piano ou a jaqueta de franjas com que ele aparece no vídeo de Hurt, música da banda Nine Inch Nails que o Homem de Preto gravou em 2002, aos 70 anos. Esses e mais 769 itens do espólio dele e de sua mulher, June Carter Cash, que morreram no ano passado, estão sendo leiloados de hoje até quinta pela Sotheby´s de Nova York. A casa de leilões prevê alcançar em torno de US$ 1,5 milhão com a venda dos objetos que pertenceram a uma das mais famosas duplas da música country americana e cuja renda vai para os cinco filhos de Cash e June. Mas esse valor subestima o interesse que algumas pessoas têm por colecionar lembranças de artistas. Em junho, a mesma Sotheby´s calculava obter em torno de US$ 1 milhão com 695 lotes do espólio da atriz Katharine Hepburn (1907-2003) e acabou arrecadando US$ 5,8 milhões com a venda deles. Johnny Cash vendeu mais de 53 milhões de discos ao longo de quase cinco décadas de carreira e o leilão tem vários dos prêmios recebidos por ele e June como, por exemplo, 7 dos seus 11 Grammies. Além de móveis e peças de decoração da casa deles no Tennessee, há cadernos onde o compositor e cantor passava a limpo as letras de suas músicas, dezenas de violões, banjos, harmônicas e outros instrumentos musicais, mais centenas de peças de roupas e calçados que eles usavam em seus shows. As de Cash são quase todas pretas, a marca que lhe valeu o codinome. Coincidindo com o leilão, esta semana está chegando às livrarias americanas The Man Called Cash: The Life, Love and Faith of an American Legend, de Steve Turner. O livro seria uma autobiografia de Johnny Cash e passou a ser uma biografia autorizada depois da morte dele, em setembro do ano passado, por complicações de diabetes. June, que era a segunda mulher dele e vinha de uma família também famosa na country music, morreu quatro meses antes que o marido, depois de uma cirurgia no coração. Até o final do ano deve sair o último disco gravado por ele, American V.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.