O vilão da TV que ganha a torcida do público

Metade do casal que faz mais sucesso na novela Celebridade, Márcio Garcia conta que uma senhora, na rua, pediu que ele a chamasse de ?cachorra?. Contratado da Globo há dez anos, é justamente na pele do malandro Marcos que o ator vive a melhor fase na carreira. Grande parte desse sucesso está ligado à química do casal de vilões Marcos e Laura (Cláudia Abreu) - a "cachorra", como ele chama a personagem -, que ele não admite, mas funciona bem melhor que a do casal protagonista, Fernando (Marcos Palmeira) e Maria Clara (Malu Mader). Nos próximos capítulos da novela, Laura e Marcos, separados depois que a ela foi obrigada a se casar com Renato Mendes (Fábio Assunção) para não ser presa, vão poder se vingar do inescrupuloso jornalista. Laura vai virar o jogo ao conseguir importantes documentos sobre as falcatruas de Renato e contratar uma equipe de seguranças para dar uma surra inesquecível no marido, exatamente como ele fez com o ?michê? Marcos.Em entrevista ao Estado, Márcio fala do improviso ao lado de Cláudia Abreu, das brincadeiras do público nas ruas e explica por que recusou, entre tantos tapas e beijos do casal antagonista, fazer cena de nu no folhetim. Estado - Você esperava que o Marcos desse tão certo?Márcio Garcia - Acho que esse sucesso tem muito a ver com a química com a Cacau (Cláudia Abreu) , que é uma atriz que dispensa elogios. Eu e ela tentamos dar aos personagens um tom natural e ficou legal. Você nunca tinha trabalhado com a Cláudia. Como explica a química que há entre vocês?Temos uma forma parecida de trabalhar, ela gosta de improvisar, eu também. Combinamos uma tática de encavalar as falas dos personagens. Enquanto um está falando, o outro não fica quieto, fala também. Isso é provocador e soa espontâneo. Entramos desde o início tentando um "sujar" o texto do outro. Outro dia chamei ela de "Zé Mané" , no meio da fala. Ficou engraçado. A gente ensaia antes de gravar, mas na hora "h" sempre sai uma brincadeira nova, algo que não estava previsto. Você não achou estranho sair de um programa para crianças (Gente Inocente) para integrar um núcleo de vilões de uma novela das 8? Brinco que saí do Gente Inocente para ir para o "gente indecente" (risos). O fato de ter vilões muito maus nessa novela acabou virando um ponto a favor do Marcos. Como tem a Laura, o Renato, que são bem mais malvados, ele acabou ficando um vilãozinho meia boca. Muita gente diz que a química do casal Laura e Marcos é maior e melhor que a do casal protagonista (Fernando e Maria Clara).Não, não é assim. É claro que a Laura e o Marcos deram certo juntos, tem gente que até torce por eles. Eu acho que ter vilões fortes, como sempre há nas tramas do Gilberto, fortalece o protagonista também. Quanto mais maldade de um lado, parece que o outro já é melhor por não ser tão mau. Um puxa o outro. Como é a reação do público nas ruas em relação ao Marcos?Só ouço coisas engraçadas. Me chamam de "michê" (risos). A coisa mais engraçada que ouvi foi de uma senhora que cruzei na rua. Ela passou por mim e na maior cara-de-pau pediu para eu chamá-la de "cachorra". Acho que a minha cara foi de susto na hora (risos). É verdade que apesar das cenas picantes entre Laura e Marcos você não topou fazer cenas de nu na novela?Acho que não era o caso. Falei com o Dênis (Carvalho, diretor) sobre isso e ele concordou. Se fosse extremamente necessário, faria. Marcos e Laura já tinham aqueles tabefes no início, puxão de cabelo, xingamento, já era suficiente (risos). O nu ali ficaria demais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.