O último Rafael em coleção particular muda de mãos

A National Gallery pagará 22.000.000 de libras (RS 120.350.000,00) para comprar a Madona e Menino, pintado por Rafael no século 16 e também conhecido como Madona dos Cravos, do duque de Northumberland, que tinha planejado vendê-lo para o Museu J. Paul Getty, de Los Angeles. O anúncio foi feito hoje, pondo fim a uma verdadeira campanha para impedir que a obra-prima do renascimento italiano ? o último Rafael em mãos de um particular - fosse vendida pelo seu proprietário inglês para um museu americano.Especialistas em arte consideram a tela de 20x23 centímetros um tesouro e acreditam que Rafael a pintou entre 1507 e 1508, inspirando-se num quadro de Leonardo da Vinci, a Madona Benois. Na versão de Rafael, a Madona está sentada com Jesus no colo, que brinca com as flores. Um castelo é visível através de uma janela. Ela era considera uma cópia até que um curador da National Gallery a reconheceu, há cerca de 20 anos. O museu tem exposto o quadro por empréstimo desde 1992 e muitos ingleses ficaram receosos de que pudesse deixar a Inglaterra. O governo impôs uma proibição temporária sobre a venda ao exterior e deu ao museu 11.500.000 de libras (R$ 62.930.00,00) do fundo de prêmios lotéricos para ajudar a comprar a obra.O acordo foi firmado ontem à noite, disse Charles Saumarez Smith, diretor da National Gallery. ?As negociações foram extensas e demandaram tempo, mas estamos felizes por ter efetuado a aquisição?, disse Saumarez Smith. ?Este é um quadro que, com o passar do tempo, foi tendo cada vez mais ressonância entre o público.? Ele contou, ainda, que o Getty já havia depositado dinheiro para obter licença de exportação para obra na segunda-feira.?Estou satisfeitos porque conseguimos um acordo e especialmente contentes porque a pintura, que o quarto duque de Northumberland comprou em 1853, permanecerá no Reino Unido?, com o duque pediu em seu testamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.