'O Suspeito' questiona medidas de combate ao terror

O longa-metragem de Gavin Hood, "O Suspeito", traz como tema medidas de combate ao terrorismo que podem ameaçar as garantias individuais. O Patriot Act, instrumento aprovado pelo Congresso americano após os atentados de 11 de setembro de 2001, permite medidas excepcionais no combate ao terrorismo. Entre elas, a que vem mencionada no filme de Hood - um suspeito, de origem estrangeira, pode ser tirado clandestinamente do território americano para ser interrogado em seu país de origem. Os ?métodos? de interrogatório são aqueles que já se conhece.E é a essa metodologia que é submetido o egípcio residente nos EUA Anwar El-Ibrahimi (Omar Metwally), que volta de uma viagem à África do Sul, é seqüestrado em solo americano e vê-se mandado para uma cela infecta em outro país. Anwar tem a má sorte da origem muçulmana e de ser um químico brilhante e com experiência em explosivos. Tudo depõe contra ele e quem o interroga quer saber de suas supostas ligações com uma rede terrorista.A funcionária da CIA Corrine Whitman (Meryl Streep) representa a face inflexível da Realpolitik - faz-se o que deve ser feito e as perdas humanas devem ser consideradas numa relação de custo e benefício. Reese Whiterspoon interpreta Isabella, a esposa grávida de Anwar, que procura localizar o marido desaparecido.O filme é baseado nas questões éticas que estão sendo discutidas pela parte mais esclarecida da opinião pública norte-americana. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.