Imagem Luis Fernando Verissimo
Colunista
Luis Fernando Verissimo
Conteúdo Exclusivo para Assinante

O sorriso da Cacá

Tenho um plano político pessoal que, se tudo der certo, acabará com a Cacá Nascimento na comissão de frente permanente da Mangueira e eventualmente na Presidência da República

Luis Fernando Verissimo, O Estado de S. Paulo

07 de março de 2019 | 02h00

Minha escola, a Salgueiro, desfilou antes, e estava linda, mas meu coração traidor não se deixou levar. Confesso que trai. Eu queria ver a Mangueira. Todo o desfile até a Mangueira aparecer, pra mim, foi prólogo. Tudo que precedia a Mangueira atrasava a Mangueira. Blocos de argentinos indo na direção errada, nórdicos perplexos, baterias quilométricas, madrinhas de bateria com coxas intermináveis, alegorias adernadas, baianas cansadas... Saiam da frente! Abram alas para só o que interessa, a Mangueira!

Está certo, meu entusiasmo pela Mangueira não é desinteressado. Tenho um plano político pessoal que, se tudo der certo, acabará com a Cacá Nascimento na comissão de frente permanente da sua escola e eventualmente na Presidência da República. Cacá e seu sorriso se tornarão uma espécie de termômetro da disposição nacional, e como ela está sempre sorrindo e/ou cantando o humor nacional será de eterno otimismo, não importa o que esteja acontecendo em Brasília. Seu rosto e seu sorriso garantirão nosso futuro, pois um país que pode produzir uma Cacá, pode tudo. Cacá desfilando no Sambódromo seria um teste da sua capacidade de nos salvar de nós mesmos.

Bobagens de ministros? Sorriso da Cacá. Excesso de generais? Sorriso da Cacá. Excesso de Bolsonaros? Sorriso da Cacá. Um certo anti-intelectualismo em todos níveis do novo governo, tanto que já se ouviu a frase “quem tem QI tem medo”? Sorriso da Cacá.

Mas aconteceu o seguinte. A Mangueira começou a desfilar lá pelas quatro da madrugada. Eu comecei a dormir já pelas duas da madrugada. Perdi o desfile da Mangueira. Tenho grandes planos para consertar o mundo e, se der certo, o Brasil. Mas preciso dormir. Já se disse que revolução é idealismo mais tempo. Acho que o idealismo é a revolução com sono. O sono me atrapalhou.

Mas me contaram que a Mangueira abafou e que a Cacá desfilou na frente. Sorrindo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.