O som que vem do Piauí e chega ao Sesc Pompéia

Evento Piauí Sampa - Terra do Sol na Terra da Garoa começa na sexta

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 10h13

O Piauí é aqui. Até dia 17 de junho, a terceira edição do projeto Piauí Sampa - Terra do Sol na Terra da Garoa divide-se entre o Shopping Eldorado, o Sesc Pompéia e o Hotel Braston, trazendo aos paulistanos um pouco do panorama da cultura, turismo, moda e decoração piauienses. A idéia, mais uma vez, é incentivar o intercâmbio comercial, cultural e artístico entre os dois Estados. No Atrium Azul do Shopping Eldorado, está concentrada a mostra Piauí Sampa 2007, com suas estandes de artesanato, turismo, algumas dedicadas à tradicional cultura de caju e mel, entre outros atrativos regionais. E enquanto o Hotel Braston sedia as rodadas de negócios em turismo, o Sesc Pompéia vira palco de uma integração musical entre bandas do Piauí e de São Paulo. Cada dia, serão três artistas do Piauí e dois paulistanos. "Os artistas do Piauí foram selecionados pelo próprio Sesc, que analisou o material enviado e chegou a esses nomes", explica Delano Rodrigues, superintendente do Sebrae no Piauí (o Sebrae é idealizador do projeto). Segundo ele, nesta terceira edição, os destaques ficam por conta da estruturação da parte musical, da gastronomia, mais ampla, e da rodada de negócios. "O lado comercial e de valorização da marca do Piauí estão bem mais consolidados este ano", acredita. Entre as bandas selecionadas, há uma miscelânea de estilos e sonoridades, reflexo do próprio cenário musical que se configura naquele Estado. O cantor, compositor e violonista Rubens Figueiredo, que se apresenta sábado no Sesc, enxerga a cena, na qual está inserido e se formou, exatamente assim: diversificada. "Não tem um rótulo regionalista. É marcada pela diversidade de estilos, do pop mundial, com música brasileira, nordestina tradicional. O reggae, o rock pesado, o hip-hop", enumera. Assim sendo, ele concorda que é bem provável que a mesma cena não consiga a devida projeção no restante do País, por não se ter lançado um movimento musical específico. "Não existe um movimento acontecendo por lá", reforça. Mais convidados Nascido em Teresina, capital do Piauí, o próprio músico possui referências musicais das mais diversas. Aprecia música brasileira, cresceu ouvindo música internacional e gosta bastante de instrumental. E Voilá: sua obra se tornou a síntese de um pouco de tudo isso, sobretudo no quesito harmônico. Banda de um músico só, Rubens Figueiredo, em sua apresentação dentro do projeto, estará acompanhado apenas por um baixista e por bases eletrônicas. Depois de ter sido líder de muitas bandas, decidiu-se pela carreira-solo a partir de 1997 e este ano se prepara para lançar seu segundo CD. Antes dele, sobem ao palco nesta sexta-feira, 15, Oscaipora, Radiofônicos e Flagrante, seguidos pelo paulista Mercado de Peixe. Oscaipora é um dos destaques da programação, fazendo um som, como definem os integrantes da banda, avesso a modismos e ligado à cultura de raiz. Foi formado na década de 90, a princípio para levar adiante a cultura popular nordestina, numa integração de música, poesia, teatro, dança e repente. No sábado, o músico Rubens Figueiredo terá a companhia dos conterrâneos Roque Moreira (conjunto que funde a linguagem regional com influências do rock, funk, rap e reggae), Vavá Ribeiro (cantor e violonista que já se apresentou nas edições anteriores do projeto Piauí Sampa), além do músico paulista Curumim. Piauí Sampa 2007. Choperia do Sesc Pompéia (800 lug.). Rua Clélia, 93, Lapa, telefone 11-3871-7700. Sexta e sábado, 21 h. R$ 2 a R$ 8

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.