O som da idade média

O som da idade média

O grupo francês Eia faz duas apresentações, uma beneficente e outra grátis

João Paulo Charleaux, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2010 | 00h00

A solidariedade com as vítimas do terremoto que deixou 300 mil mortos no Haiti em janeiro saiu dos círculos diplomáticos e das manchetes dos jornais para ganhar um espaço inusitado - a cozinha do Mosteiro de São Bento, em São Paulo.

Hoje, o Groupe Eia do Musée Cluny de Paris, pela primeira vez no Brasil, participa de um concerto para arrecadação de fundos destinados a financiar projetos de saneamento básico na capital haitiana, Porto Príncipe, e de construção de um banco de leite materno.

Os cinco músicos do grupo vieram do conjunto Ultreia, que tocou no Museu Nacional da Idade Média de Paris de 1991 a 2008. Além do concerto, o Consulado da França prepara também um jantar com pratos da culinária dos séculos 12 e 13, sob o comando do chef francês Olivier Delcroix.

O concerto e o jantar são para um grupo restrito de convidados que vão desembolsar R$ 500 por ingresso - valor totalmente revertido para os dois projetos no Haiti.

Mas os que não estiverem no mosteiro também terão a chance de ouvir o Eia, num concerto gratuito, amanhã, às 19h30, no Espaço Cultural Tattersal, no Parque da Água Branca. A apresentação será uma oportunidade rara para os paulistanos conhecerem um repertório incomum no panorama de concertos da cidade. Além de três cantores - o tenor Pierre Bourhis, a soprano Hélène Decarpignies e o contratenor Hervé Mailliet - o Eia leva ao palco instrumentos antigos, como a viela, que é tocada com arco, como um violino; o cistre ou cítola, que é tocado como o alaúde ou o violão, por cordas pinçadas; e a percussão.

Tradição. Um dos méritos do Eia é o de conseguir executar e popularizar um repertório tão antigo (do século 5.º ao 15), usando algumas composições que contaram apenas com a tradição oral para passar de geração em geração. Todas as peças são de origem sacra.

O grupo também reabilita um repertório que até há pouco tempo era considerado menor em comparação às grandes composições barrocas, renascentistas e românticas. Até surgirem as primeiras obras de Johann Sebastian Bach (1685-1750), os instrumentos não eram sequer temperados - o que significa dizer que eles não possuíam a escala padrão de notas definidas em tons e semitons como conhecemos hoje.

GRUPO EIA

Mosteiro de São Bento

Largo São Bento.Qquarta-feira, dia 22, 20h.

Ingressos a R$ 500 para concerto e jantar em benefício de dois projetos sociais no Haiti, disponíveis no Consulado da França em São Paulo, Tels: 3371 5411e 3371 5412

Parque da Água Branca

Espaço Tattersal.

Av. Francisco Matarazzo, 455.

Amanhã, 19h30.

Grátis. Ingressos no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.