O refrão campeão

Canção sobre próprio dilema na Somália consagra hit de K'Naan

Jotabê Medeiros, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2010 | 00h00

Na Copa. A canção 'Wavin" Flag', do cantor K"Naan, não é o tema oficial da Fifa, mas foi escolhida pelos amantes do futebol. Na foto, artista durante o show de abertura.

 

 

 

O rapper somali K"Naan não esperava por essa. Nos shows da abertura da Copa do Mundo, no Orlando Stadium de Soweto, que começaram desde ontem, ele terá - ao lado de Black Eyed Peas, Shakira, Alicia Keys, John Legend, Angélique Kidjo e outros - uma multidão calculada em 2 bilhões de pessoas assoviando uma música sua.

Há um ano, ninguém conhecia K"Naan. Ao vender o tema musical Wavin" Flag para um fabricante de refrigerantes, ele ganhou muito mais do que o cachê inicial de US$ 300 mil - seu refrão Give me freedom, give me fire, give me reason, take me higher (Dê-me liberdade, dê-me fogo, dê-me razão, me leve para cima!) invadiu TVs, rádios, computadores e iPods em 150 países e virou o real hino da Copa do Mundo que começa hoje.

K"Naan, cujo nome de batismo é Keinan Abdi Warsame, escapou da guerra civil na Somália aos 14 anos, imigrando para a América do Norte. Há três anos, gravou Wavin" Flag como manifesto da condição de exilado. Ao ser procurado pelo fabricante de refrigerantes, fez um remix em que mantém intacto o refrão e adiciona a percussão em júbilo, ultra-africanizada, irresistível.

Wavin" Flag não é o tema oficial da Fifa. Mas tornou-se, viroticamente, a canção escolhida pelos amantes do futebol para turbinar a torcida, assim como aconteceu, na Copa do Mundo de 2002, com o remix de A Little Less Conversation, de Elvis Presley, pelo DJ holandês JLX para um comercial de tênis.

Aos 32 anos, K"Naan, que vive em Toronto, Canadá, viu sua carreira decolar pela via do futebol (em 2005, já tinha gravado algo do gênero, Soobax). Agora, está com 530 shows agendados para os próximos três anos. Essa semana, gravava um videoclipe com um ídolo, o rapper Akon. "É uma doideira que a primeira vez que a gente esteja trabalhando junto aconteça na África do Sul", afirmou o cantor, deslumbrado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.