O que pensa o novo secretário da Cultura de SP

Empossado secretário da Cultura de São Paulo, o professor de história da Unicamp Marco Aurélio Garcia não se considera nem um grande político nem um grande intelectual. Mas tem a vantagem de poder "harmonizar as duas coisas com uma certa facilidade", defende. Garcia vai cuidar de uma as pastas mais importantes da gestão de Marta Suplicy (PT), e, como outras secretarias, esbarrar em grandes amarras orçamentárias.Entre suas prioridades, destaca-se a atenção à agenda e aos equipamentos da periferia e do centro da cidade. Quer atender aos "sem-música, os sem-cinema, os sem-teatro, os sem-literatura". E questiona a importância dos megaeventos. Enquanto toma conhecimento da parte já comprometida de seu orçamento de R$ 105 milhões, não arrisca detalhar projetos. A não ser um, bastante emblemático, de transformar a Biblioteca Mário de Andrade num "caldeirão" de cursos e debates públicos com intelectuais inspirado no College de France. Em entrevista concedida a Igor Ribeiro, o secretário explica estas e outras de suas idéias para "socializar" a cultura na cidade.Cidadania cultural"O sistema democrático, consagrado pela constituição, penosamente construído nesses últimos 20 anos, não se traduziu numa democracia social expansiva. Vivemos, em certa medida, num regime de apartheid social..." Herança de Pitta"O dono da gráfica (da revista Agenda Cultural, que tem sido publicada mensalmente pela prefeitura) disse que só imprime a de janeiro se pagar o papel da de setembro. Aliás tem outros problemas de papel, mais prosaicos, que está faltando aqui, que você pode imaginar (risos). Nem o gabinete do Secretário foi poupado, é um caso geral..." Incentivo fiscal"Também vamos acabar, eventualmente, com picaretagens, pois sabemos que existem. No tempo da Lei Sarney, coquetéis e festinhas aconteciam, muitas vezes, graças a esse tipo lei de incentivo..." Cultura em São Paulo"O meio cultural paulistano é uma coisa muito vasta. Acho que ninguém tem familiaridade assim. Eu me informo, tenho interesse pela área cultural há muitos e muitos anos e, com o perdão da palavra, sou intelectual..." São Paulo Filmes"É um projeto polêmico este que foi apresentado, e quero ouvir todos os lados para emitir uma opinião nossa. Não é projeto consensual. Eu pessoalmente não tenho opinião formada e quero formar uma sobre isso..." Megaeventos"Precisamos encaixar os eventos nas nossas diretrizes. Não quero chegar no final da gestão e fazer uma contabilidade do tipo: ´ah, fiz 2 mil, 3 mil eventos por mês´..." Colégio de idéias"Temos a idéia de transformar aquele magnífico auditório da Biblioteca Mário de Andrade para realizar uma série cursos, sejam mensais, semestrais, semanais, enfim..., sobre temas diversos; A prefeita entende que essa é uma das prioridades, além da periferia..." Democracia digital"Biblioteca que não está informatizada é depósito de livro. Mas devemos também estudar o problema de atualização de acervos..." Outras gestões"(Tive) muitas experiências ruins (como Secretário de Cultura de Campinas, entre 1989 e 90), o que só aponta para agora uma coisa: o que não vou fazer (risos)... agora sei que há momentos em que tem que se decidir coisas, e às vezes algumas decisões são decisões ásperas. Para fazer omelete tem que quebras os ovos, e eu lamento de não ter quebrado alguns lá..." Teatro Municipal e Ibirapuera"A Marta não pretende privatizar o Municipal. Isso não está em discussão. É essa nossa política de ação. Mas ao mesmo tempo quero dar agilidade e qualidade ao Municipal..." Centro Cultural São Paulo"Ele deveria cumprir um papel importante de espaço para o cinema de vanguarda. Tem que servir para isso, pois pode contribuir para a formação de um certo público. Temos hoje uma diversidade cinematográfica muito menor do que o que tínhamos há 30 anos..."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.