O QG da nova geração

Dono do estúdio Totem, produtor musical e engenheiro de som

Carol Pascoal, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2010 | 00h00

Yuri Kalil e Kalil Alaia são dois nomes que apareceram bastante nos encartes dos bons discos lançados em 2009. O primeiro, por exemplo, foi citado no Iê Iê Iê, de Arnaldo Antunes, por ser o engenheiro de gravação e responsável pela mixagem. Já o segundo ganha espaço no CD Uhuuu, do Cidadão Instigado. Além de integrar o grupo cearense como técnico de som, coproduziu o álbum ao lado do virtuose Fernando Catatau. Mas, na verdade, Yuri Kalil e Kalil Alaia são a mesma pessoa que tem conseguido, com sucesso, fazer contribuições para a música por meio do seu estúdio Totem. "Essa confusão dos nomes foi invenção do Catatau. Na hora de apresentar a banda durante um show do Cidadão, me chamou de Kalil Alaia", lembra. E a brincadeira pegou. Certamente, a inspiração para o apelido vem da ascendência de Kalil, que é neto de libaneses, mas nascido no Ceará. Veio para São Paulo em 1995 com o sonho de viver da música e demorou 10 anos para trocar seu pequeno estúdio de bandas amadoras, que ficava na Rua Teodoro Sampaio, por seu atual estúdio, localizado em um casarão da Sumaré - nesse meio tempo ele também trabalhou no estúdio Mosh. Em 2010, outros lançamentos de relevância passaram pelo estúdio de Kalil durante alguma fase da produção, caso do Eu Menti Pra Você, de Karina Buhr, e do Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos, de Otto. Mas um dos projetos de maior importância para Kalil foi a parceria com Thiago Pethit, no álbum Berlim, Texas. Este é o primeiro disco do cantor e compositor paulistano e também o primeiro que Kalil produziu, gravou e mixou inteiramente sozinho. "O Thiago já tinha gravado o EP dele no Totem e se identificou com o meu trabalho. Fazer um disco de personalidade com o baixo orçamento foi um desafio", diz Kalil. Não importa se será sob a alcunha de Yuri Kalil ou de Kalil Alaia, mas este nome ainda aparecerá muitas vezes nos encartes de prováveis bons lançamentos. Um dos próximos é o de Marcelo Jeneci, no qual Kalil fez a mixagem - e deve chegar às lojas em julho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.