David James/Divulgação
David James/Divulgação

O próximo filme de amor

'Como Você Sabe', do veterano James L. Brooks, estreia no Brasil em fevereiro com elenco estelar de Hollywood

Luiz Carlos Merten / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

21 de dezembro de 2010 | 00h00

How Do You Know, Como Você Sabe. Poderia ter uma interrogação - como você sabe que está amando? É o novo filme de James L. Brooks, que estreia em 4 de fevereiro. Brooks, você sabe quem é. Criador dos Simpsons, ele se mantém até hoje ligado à série, como produtor executivo e incentivador de ideias. Participa dos encontros da produção, fornece sugestões de piadas e situações, mas não escreve mais os roteiros. No cinema, ganhou os Oscars de filme e roteiro por Laços de Ternura e depois fez Melhor É Impossível, entre outras comédias de sucesso.

Brooks - nenhum parentesco com Richard Brooks nem com Mel Brooks - cultiva como poucos, em Hollywood, a fórmula da comédia dramática. A vida como ela é - feita de som e fúria e significando nada. Epa, isso é Shakespeare. Ele ri - Brooks encontra-se com o repórter do Estado num hotel elegante de Nova York. Ali em frente é o Central Park, a cidade está decorada para o Natal, faz muito frio - muito vento, mas, justamente por causa disso, não neva. Como Você Sabe acaba de estrear nos cinemas dos EUA. Ganhou os elogios de sempre. Brooks sabe escrever diálogos, dirige bem os atores - ele diz que o segredo está na escolha, o resto é fácil. Só um problema - Como Você Sabe não é tão bom quanto os melhores filmes de Brooks.

O elenco, de qualquer maneira, reúne a fina flor de Hollywood - Reese Whiterspoon, a Miss Avon, Paul Rudd. Owen Wilson e, claro, Jack Nicholson, porque nenhum filme de James L. Brooks fica completo sem a presença do astro que ganhou os Oscars de melhor ator (Melhor É Impossível) e melhor coadjuvante (Laços de Ternura) em obras por ele dirigidas. Com exceção do diretor e da coadjuvante Kathryn Hahn, o elenco principal não concedeu entrevistas individuais em Nova York. Com eles, foi só uma coletiva, dividida em dois grupos. Quando o repórter entra na sala, Nicholson fala em voz baixa com Reese e Rudd. Wilson debruça-se sobre os colegas e o trio ri. O que há de tão engraçado? "Só o encontro de amigos. Vocês podem não acreditar, mas nós gostamos uns dos outros", diz Reese.

Como Você Sabe trata de relacionamentos. Reese faz uma atleta que dedicou a vida ao esporte e agora é eliminada da equipe na qual brilhou por anos. Ela surta - e justamente neste dia tem um encontro às cegas com Paul Rudd, que também não atravessa bom momento. Ele está sendo investigado pela Receita dos EUA, acusado de fraude fiscal ou coisa que o valha. O pai empresário (Nicholson) não é nem um pouco solidário com o filho - se tiver de escolher entre a firma e o filho, ele deixa claro que a primeira será preferida. Não é bem assim, porque os misantropos que Nicholson cria para James L. Brooks sempre terminam por revelar sua humanidade (veja-se o caso de Melhor É Impossível). Quanto a Owen Wilson, é o ex de Reese, de quem ela se separa porque ele é um mulherengo que não pode ver rabo de saia. Em seu closet, ele chega a ter dúzias de camisas e camisetas, e também de escovas de dentes, para o momento "after" das mulheres que leva para casa.

Naturalmente que, ao levar o fora, Wilson descobre a força de seus sentimentos por Reese - como Rudd, fragilizado, segue um caminho diverso e tenta mostrar que não necessita do pai, só para ficar mais dependente de Reese. Brooks escreveu Como Você Sabe para a atriz, seduzido pelo talento cômico que ela revelou nas entrelinhas do drama Johnny e June, sobre a ligação de Johnny Cash e June Carter, pelo qual ganhou o Oscar de atriz. Reese adorou o papel. Diz que, assim como o diretor entrevistou atletas e ex-atletas para criar a personagem, ela também fez sua pesquisa de campo. "Já tinha, intuitivamente, essa noção de que atletas vivem vidas muito intensas e, ao mesmo tempo, precárias. Todas as mulheres que entrevistei sabiam que aquilo não ia durar para sempre e tinham consciência de que, num determinado momento, teriam de refazer suas vidas. É o que ocorre com Lisa, minha personagem. Na prática, as coisas são muito mais difíceis. Lisa não tem nada a ver comigo, mas tive de colocar todas as minhas habilidades e ferramentas à sua disposição. Mesmo não sendo eu, ela tem muito de mim."

O quê, por exemplo? "Tive de me preparar durante meses, praticando duas ou três horas por dia, três vezes por semana. A parte física foi puxada. Parece fácil, mas foi difícil de fazer. Não estou reclamando, pois valeu a pena." Owen Wilson define seu personagem "como um sujeito que não gosta de complicar as coisas. No começo, Lisa é só outra garota com quem ele quer se divertir. Mas as coisas mudam - como na vida." George, o personagem de Rudd, vê seu mundo desmoronar - leva o fora da namorada, é indiciado por fraude e sua ex-secretária adverte que um perigo é iminente, mas ela não pode dizer o que é. Rudd teve de fazer teste para o papel. Ele tem uma cena de bebedeira. "Foi a coisa mais difícil que já fiz. É fácil ser falso em cenas de bêbado, mas com Jim (James L. Brooks) isso não ocorre. Ele tem um bom olho para o detalhe."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.