O primeiro Men in Black, insuperável

MIB - Homens de Preto

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2012 | 03h10

15H50 NA GLOBO

(Men in Black). EUA, 1997. Direção de Barry Sonnenfeld, com Will Smith, Tommy Lee Jones, Linda Fiorentino, Rip Torn, Vincent D'Onofrio, Tony

Shalhoub.

Dois sujeitos conhecidos como "homens de preto" - um veterano e um novato -, membros de uma organização secreta que detecta alienígenas escondidos em nosso mundo, entram em ação para enfrentar seres de outros planetas que andam causando problemas para os terráqueos. Bem-vinda reprise do primeiro episódio da bem-sucedida franquia, cuja terceira parte estreia hoje nos cinemas. Além dos efeitos especiais, o que funciona realmente é a química entre Will Smith e Tommy Lee Jones, engraçadíssimos em seus papéis. Reprise, colorido, 112 min.

End Game

22H30 NA REDETV!

(End Game). EUA, 2006. Direção de Andy Cheng, com Cuba Gooding Jr., James Woods, Angie Harmon, Anne Archer e Burt Reynolds.

Agente do Serviço Secreto é responsável pela segurança do presidente dos Estados Unidos. Quando o mandatário é assassinado, o oficial se culpa pela falha da equipe e é temporariamente afastado do emprego. Obcecado em resolver o crime, ele passa a buscar pistas com a ajuda de uma repórter. Drama sem grandes atrações. Reprise, colorido, 94 min.

Mama África

22H30 NA TV BRASIL

Brasil, 2010. Direção de Alê Braga.

"Se o Brasil é futebol, samba, Amazônia e mulheres bonitas, África é conflito, fome e animais. Será? A imagem da África para os estrangeiros é absolutamente estereotipada, equivocada ou simplesmente desconhecida." Assim começa o texto de apresentação deste documentário, que mostra o cotidiano dos habitantes daquele continente, como um saxofonista e um chef de cozinha moçambicanos, um fabricante e vendedor de tapetes de Marrocos, um médico tradicional da Suazilândia, um artista plástico de Cabo Verde, um jogador de futebol do Gana, uma empresária da Guiné-Bissau, um historiador antropólogo da Tanzânia, um jornalista do Senegal, e uma mulher que pilota barcos de Cabo Verde. Reprise, colorido, 70 min.

O Máskara

22H45 NO SBT

(The Mask). EUA. 1994. Direção de Charles Russel, com Jim Carrey,

Cameron Diaz, Peter Riegert, Peter Greene.

Bancário desajeitado encontra uma estranha máscara. Quando a coloca, ele se transforma num sujeito verde, vestindo um terno amarelo e muito divertido que se autodenomina Máskara. Utilizando seus poderes, o Máskara combate o crime na cidade e ainda flerta a namorada de um gângster. Em tom de desenho animado, uma divertida aventura que ganha muitos pontos graças à tresloucada interpretação de Jim Carrey. E, de lambuja, a belíssima presença de Cameron. Programaço. Reprise, colorido, 98 min.

Jesus no Mundo Maravilha

0H15 NA CULTURA

Brasil, 2006. Direção de Juliano

Enrico.

Documentário sobre Jesus, Lúcio e Pereira, três ex-policiais que foram expulsos da corporação e agora trabalham em um parque de diversões. O constrangimento da exoneração levou Jesus a tentar suicídio. Agora, ele coordena o trabalho de 28 seguranças e sonha com sua volta à corporação. Já Lúcio entrou para vingar o assassinato da mãe e caçar bandidos. E Pereira é hoje evangélico e interpreta Perereco, personagem infantil que diverte as crianças na igreja. Um curioso e dedicado olhar sobre dramas demasiado humanos. Reprise, colorido, 52 min.

TV PAGA

Uma Cilada para Roger Rabbit

12H30 NO TELECINE CULT

(Who Framed Roger Rabbit). EUA, 1988. Direção de Robert Zemeckis, com Bob Hoskins, Christopher Lloyd, Joanna Cassidy e Stubby Kaye.

Em 1947, o astro dos desenhos animados Roger Rabbit é acusado de cometer um crime passional: o homem que posou ao lado de sua mulher para uma foto aparece morto, o que o incrimina. O detetive que fez a foto encarrega-se de salvar a pele do coelho e de outros desenhos. Deliciosa combinação entre filme e animação, sustentada por personagens marcantes como o próprio coelho Roger e sua namorada, Jessica, que tem as curvas inspiradas em Kathleen Turner, responsável, no original, pelos diálogos (nas canções, a voz é de Amy Irving). Mesmo com a evolução tecnológica na computação gráfica, da qual, aliás, já figura como um dos avós, o filme ainda impressiona pela acertada combinação entre filme e desenho. Reprise, colorido, 103 min.

Vampiros de Almas

14H20 NO TELECINE CULT

(Invasion of the Body Snsatchers). EUA, 1956. Direção de Don Siegel,

com Kevin McCarthy, Dana Wynter, Carolyn Jones, Sam Peckinpah.

Vagens gigantescas surgem em uma cidadezinha e as pessoas começam a adotar um comportamento estranho. Na época (anos 1950), os EUA viviam atormentados pelo macarthismo, onda de perseguição a pessoas acusadas de comunistas. O diretor Siegel faz, assim, uma alegoria dos riscos do totalitarismo e dos empecilhos à liberdade de pensar (e agir). Entre os atores está o futuro diretor Sam Peckinpah. O filme foi muito copiado depois, mas continua insuperável. Reprise, preto e branco, 83 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.