O peso dos Titãs em 180 gramas

TITÃS[br]CABEÇA DINOSSAURO, JESUS NÃO TEM DENTES NO PAÍS DOS BANGUELAS E Õ BLÉSQ BOM [br]Preço: R$ 85 cada LP[br]ÓTIMO

Lauro Lisboa Garcia, O Estado de S.Paulo

08 Janeiro 2011 | 00h00

A onda dos relançamentos em vinil cresce e passa a ganhar títulos de peso no mercado brasileiro visando aos colecionadores. A Polysom, que mais tem investido no setor desde 2010, bombou a nova era do vinil brasileiro com artistas e grupos contemporâneos, e na segunda fase tem-se voltado para o acervo de clássicos. A Som Livre acaba de entrar nessa seara, também equilibrando títulos novos e antigos.

O problema é o preço. Em 2008/2009, a Sony fracassou ao investir na coleção Meu Primeiro Disco, com os datados álbuns de estreia de Engenheiros do Hawaii, Inimigos do Rei e Vinicius Cantuária, além do mediano de João Bosco, reunidos em LP e CD na mesma embalagem, por R$ 90. Claro que isso não interessou a ninguém e a ideia de quem confundiu velharia com raridade foi abortada. Daquele único pacote só valia a pena mesmo Da Lama ao Caos, de Chico Science e Nação Zumbi.

Agora a Som Livre faz o mesmo com a enjoativa Maria Gadú, juntando vinil e CD por R$ 224,90. Surpreendentemente, também lança o primeiro álbum da promissora Orquestra Contemporânea de Olinda, por R$ 144,90. Os outros, que custam o mesmo preço, são de seu precioso acervo: Barão Vermelho (estreia do grupo, de 1982), o clássico Acabou Chorare (1972), dos Novos Baianos, e A Voz, o Violão e a Música de Djavan (1976). A nova edição da boa estreia do compositor alagoano (com tudo idêntico ao original, até o selo, mas com vinil mais pesado) tem qualidade de som superior à primeira versão.

O mesmo se dá com os Titãs. Depois de ótimos álbuns da década de 1970 (Jorge Ben, Tom Zé, Secos & Molhados), a Polysom lança três da formação clássica da banda paulistana - Arnaldo Antunes, Nando Reis, Paulo Miklos, Charles Gavin, Tony Bellotto, Branco Mello, Marcelo Fromer e Sérgio Brito - em versões remasterizadas diretamente dos tapes originais e vinis de 180 gramas com prensagem de alta fidelidade.

Cabeça Dinossauro (1986), Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas (1987), e Õ Blésq Blom (1989) formam a melhor sequência de trabalhos da banda, em seu auge criativo e de popularidade. A tiragem é limitada, o preço é razoável (R$ 85 no site www.7polegadas.com/polysom) e, para quem gosta do grupo e tem o fetiche de manusear belos álbuns de vinil com material gráfico de luxo, vale a pena o investimento. O peso dos discos é equivalente à potência sonora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.