O otimismo realista de "O Gosto dos Outros"

Decidida a manter seu mercado (esua identidade), a França investe pesado no cinema. Alcança bomresultado. No ano passado, chegou quase à paridade com Hollywood, ocupando 40% do próprio mercado. Filmes como O FabulosoDestino de Amélie Poulain e O Pacto dos Lobos - queestreou na sexta nos cinemas brasileiros - foram decisivos no processo. Mastambém houve pequenas e boas surpresas, como O Gosto dosOutros. O filme dirigido e interpretado por Agnès Jaoui fez 4milhões de espectadores nos cinemas franceses. No Brasil, ficousemanas (meses, até) em cartaz no Unibanco Arteplex. O filmeestá sendo lançado em vídeo e DVD. Se não viu nas salas, veja-oagora. Você vai adorar. É um filme sobre relacionamentos. Um empresário meiobronco é levado pela mulher ao teatro. Apaixona-se pela artistaque se apresenta no palco. Seu guarda-costas vai ao bar daesquina comprar cigarros. A garçonete (a própria diretora AgnèsJoui) lembra-se que dormiram juntos. Parece que vão retomar ahistória, mas logo em seguida ela está se aproximando do outroguarda-costas e... Forma-se um triângulo amoroso, que não é o único de OGosto dos Outros. O empresário, sua mulher e a atriz formamoutro. Nem todo mundo que ama é correspondido, mas essa é umaequação velha como o mundo, desde que Adão e Eva saíram doparaíso. Fulano ama sicrana que ama... Não importa quem. O filmevai tecendo assim uma ciranda amorosa. E diz que, sim, afelicidade é possível, desde que as pessoas assumam riscos etomem a própria vida nas mãos. Um dos méritos de Agnès Jaoui é perceber (e expressar)que as pessoas são mais complexas do que aparentam ser. Oempresário é bronco, mas, de repente, se revela um carasensível. A atriz é libertária, mas, de repente, também tem umlado conservador e até convencional. Nada é preto no branco.Agnès Joui recorre aos meios-tons para falar de sentimentos. Ah,sim, o filme é em cores. Elas não chegam a introduzir umelemento de fantasia na trama. O otimismo de O Gosto dosOutros, mais de um crítico já assinalou, tem um pé, ou os pés,na realidade. Agnès Jaoui pode ser pouco conhecida no Brasil, mas osfranceses já a conhecem e apreciam há tempos. Ela ganhou duasvezes o César, o Oscar francês, pelos roteiros de On Connaîtla Chanson e Smoking/No Smoking, ambos de Alain Resnais. Ecom O Gosto dos Outros ganhou o César de melhor filme. Enfim, uma diretora talentosa que assina um bom filme. Dê-se o prazerde ver O Gosto dos Outros. Você vai ver que vale a pena. Serviço - O Gosto dos Outros (Le Gout des Autres). França,2001. Direção e interpretação de Agnès Jaoui. Vídeo e DVD(R$ 39) da Warner

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.