O majestoso Taj Mahal está em perigo

Ameaça ao majestoso edifício do Taj Mahal fez com que o governo indiano suspendesse a construção de um complexo turístico avaliado em US$ 40 milhões, que mudaria o entorno do mausoléu datado do século 17, com a instalação de um shopping center e um restaurante. Apesar do bloqueio das obras, o que já foi feito pode afetar o terreno e provocar a inundação dos jardins do Taj Mahal, cercado pelas águas do rio Jamuna na época das monções, segundo D.K. Joshi, membro do comitê responsável pelo caso, por indicação da Suprema Corte Indiana.O Taj Mahal é um dos principais monumentos da Índia e foi construído pelo monarca mongol Shah Jahan em memória de sua mulher favorita, Mumtaj Mahal. Mais de dez mil artesãos indianos e persas trabalharam durante 22 anos para construir o Taj Mahal e incrustar sobre o mármore branco as pedras semi-preciosas que compõem o desenho floral da obra, concluída por volta de 1647. Conta a lenda que, por ordem do monarca, depois de terminar seu trabalho, os artesãos tiveram suas mãos cortadas para impedir que fizessem algo mais bonito do que o Taj Mahal. Com sua construção, Jahan deixou seu reino pobre e seu próprio filho prendeu-o no Forte Vermelho, do outro lado do rio Jamuna, de onde ele pode ver até sua morte a maravilhosa tumba que construiu para sua esposa.O ministro da Cultura e do Turismo Jagmohan, que visitou o local no domingo, disse em entrevista à imprensa que foi aberta uma investigação para determinar a responsabilidade pelas obras, que, aparentemente, não possuíam qualquer licença para sua realização."O Taj Mahal - ´esta sublime bolha de mármore´, como dizia o escritor Mark Twain - está em perigo", disse Joshi, referindo-se à fundação classificada pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.