O grande trunfo é a técnica de manipulação

Um garoto de 8 anos que conversa com os animais. Esse é Júlio, primo de João, o moderninho da cidade grande. Um pato sacana e um sapo ingênuo, que está sempre atrás do pato como se fosse seu maior ídolo enquanto o próprio vive a repetir: "Sou o Pato Torquato, amigo de fato." Mentira dele! Simpáticas são as galinhas, Lilica, Zazá e Lola, que adoram cantar com Alípio, "o cavalo muito legal". Astolfo é um porquinho curioso, já Caco é um papagaio danado de implicante e Mimosa é quem abastece a fazenda com o seu leite.

Thais Caramico, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2011 | 00h00

Mas o grande trunfo do Cocoricó é a técnica de manipulação: delicada e sem que o ator tenha de entrar na roupa. Mas boa parte disso se deve ao fato de o programa ser gravado com só uma câmera. "Se antes era feito com quatro, em 2003, quando assumi como diretor, passou a ser com apenas uma, o que muda tudo. Consigo dar maior movimento aos personagens, que caminham por todo o cenário, fazendo com que as ações sejam mais próximas do ser humano", afirma Fernando Gomes.

No entanto, o programa não seria o mesmo se não fossem as músicas. Criador de mais de cem canções da Turma do Cocoricó, o músico e compositor Hélio Ziskind acredita que elas mexem no tempo de percepção da criança. "É algo que ela constrói junto da imagem e que vira brinquedo em suas mãos, como se fosse um convite para ser levado para dentro dela."

Para essa última temporada, os clipes musicais são feitos em externas, com os bonecos nos locais que existem de verdade. E é curioso ver um cavalo descobrindo uma escada rolante ou um museu. À frente do projeto, para pensar no roteiro e na trilha, está Fernando Salem, que substituiu Ziskind em 2009 e agora grava mais 13 clipes para o segundo CD da temporada na cidade (o primeiro é de 2010). Também para ele, a música é o lugar onde se pode dizer as coisas de um jeito mágico. "Tem uma função emotiva muito forte e por isso funciona bem nos momentos finais quando, em vez de lição de moral, tratamos dos sentimentos ao som de blues, rock e samba", diz.

LINHA DO TEMPO

1996: Criação do Cocoricó e Prêmio APCA de Melhor Programa Infantil de TV.

1997: Prêmio Unesco, no 4º Festival Internacional da Cine para Niños y Jovenes.

2003: Fernando Gomes assume a direção do Cocoricó e o clipe musical Cocô (253.438 mil acessos no YouTube) é criado.

2008: Estreia da peça teatral Cocoricó, Uma Aventura no Teatro, vista por 100 mil pessoas.

2009: Cine Cocoricó: As Aventuras na Cidade leva 25 mil telespectadores aos cinemas.

2010: Estreia Cocoricó na Cidade (aventuras diferentes, novos cenários e abordagem de temas mais urbanos e pop). No mesmo ano, Fernando Salem (que substituiu Hélio Ziskind) cria CD com 26 músicas e clipes musicais em vários ritmos.

2011: Cocoricó completa 15 anos no ar. Estreia nova temporada na cidade, com exibição prevista para maio. Fernando Gomes também assume o cargo de gerente de programas infanto-juvenis da TV Cultura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.