O final nada colorido de Judy Garland

O Estado de S.Paulo

03 de junho de 2012 | 03h09

Os últimos meses de Judy Garland também inspiraram um musical, que deve chegar a São Paulo depois de uma boa temporada carioca. O espetáculo Judy - O Fim do Arco-íris acompanha as últimas semanas de vida da atriz e cantora, quando ela tentou reerguer a carreira em uma turnê em Londres, entre o Natal de 1968 e sua morte, em junho do ano seguinte.

Ela estava debilitada - era uma mulher feia, gorda, com dentes ruins, complexo de inferioridade mas, mesmo assim, com uma voz inigualável. O grande trunfo do musical está na interpretação visceral de Claudia Netto, que equilibra a fragilidade com a inteligência de uma mulher desesperada. Uma atuação que impressionou até o autor, o inglês Peter Quilter, que assistiu à peça no Rio. / U.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.