O Evangelho Segundo Jesus chegou ao teatro

Apesar da escrita árida, sem pontuação, a obra de José Saramago inspirou encenadores, especialmente no Brasil. Em 2001, o escritor veio especialmente a São Paulo para acompanhar a versão cênica de um de seus romances mais controversos, O Evangelho Segundo Jesus Cristo.

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2010 | 00h00

Adaptada por Maria Adelaide Amaral e dirigida por José Possi Neto, a reinterpretação da história bíblica, que dá ares humanos a Jesus, ao diabo e até mesmo a Deus, contou com Walderez de Barros e Paulo Goulart como Maria e Deus ? Jesus e Madalena foram vividos por Eriberto Leão (depois substituído por Thiago Lacerda) e Maria Fernanda Cândida. Depois da estreia, o escritor subiu ao palco com um flor nas mãos e um largo sorriso. "Quando eu soube que uma das personagens principais do livro, José, não estava na adaptação, estranhei. Mas, ao ver a peça, compreendi que foi uma opção. Maria Adelaide Amaral manteve a presença contínua do personagem durante toda a peça, criando uma espécie de ausência da presença", disse ao "Estado", à época.

Também familiarizada com a obra de Saramago, a talentosa atriz e diretora Christiane Jatahy levou ao teatro a adaptação de Memorial do Convento, também em 2001. O projeto envolveu talentos como o dramaturgo espanhol José Sanchis Sinisterra (responsável pela versão para o palco) e o cenógrafo português José Manuel Castanheira. Por conta da enorme dimensão do romance, a peça privilegiou os personagens anônimos. /

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.