O escritor Afrânio Coutinho é enterrado no Rio

O escritor Afrânio Coutinho foi enterrado hoje pela manhã no Mausoléu dos Imortais, da Academia Brasileira de Letras, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, no Rio. Coutinho morreu na manhã de sábado, aos 89 anos, de insuficiência cardíaca. Nos últimos 10 anos foi internado várias vezes por problemas de saúde. Formado em Medicina, em 1931, Afrânio Coutinho foi professor, crítico literário, ensaísta e acadêmico. Coutinho entrou para a Academia Brasileira de Letras (ABL) em 1962. Sua vasta biblioteca particular serviu de base para a criação, em 1979, da Oficina Literária Afrânio Coutinho, que promove estudos sobre literatura brasileira e mundial. Entre as obras de Afrânio Coutinho estão Daniel Rops e a ânsia do sentido novo da existência (1935); A crítica (1959); O erotismo na literatura: o caso Rubem Fonseca (1979) e Do barroco (1994).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.