O enfant terrible no galpão

Alexandre Herchcovitch, visto como enfant terrible da moda brasileira, já mostrou mais de 20 coleções nas tendas brancas da semana de moda de NY. Primeiro no Bryant Park e, nas duas temporadas anteriores, entre os prédios do complexo cultural do Lincoln Center, onde o evento passou a ser realizado. Desta vez, quis retomar sua aura dark, trocando o local oficial dos desfiles por um galpão escuro no fim da Rua 21, no Meatpacking District de Manhattan. A região, hoje povoada por lojas de grifes internacionais, concentrava abatedouros e empresas de distribuição de carne para a cidade no início da século passado.

Tonica Chagas, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2011 | 00h00

"A tenda deixava a apresentação sem personalidade", diz Herchcovitch. "Aqui é um lugar histórico e o espaço é só nosso, não há correria para entrar ou sair porque tem outro desfile antes ou depois."

O estilista sempre exibe em NY a coleção para a estação que começa antes no Brasil e ele exibe no calendário da semana de moda de São Paulo. Assim, a primavera-verão 2012 de Herchcovitch vista na segunda foi a mesma apresentada em junho no prédio da Bienal, no Ibirapuera. No Beam, o galpão no Meatpacking, a coleção baseada em tecidos e vestidos de festa dos anos 1950, em cores claras e detalhes brilhantes, teve como palco paredes de tijolo sem pintura e piso de pedra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.